Até 2020, espera-se que mais de 28 mil toneladas de sódio sejam retiradas dos alimentos industrializados. Novo acordo poderá incluir o açúcar.

De acordo com a OMS, a ingestão não pode ultrapassar 5g. No Brasil, o consumo chega a 11,38g.

Confira tabela com alguns dos alimentos mais perigosos. O queijo parmesão ralado, tão consumido, lidera a lista!

O pacto visa a diminuição desse ingrediente em laticínios, embutidos e refeições prontas, em até 68% ao longo dos próximos quatro anos

Estudo com 500 amostras de 26 alimentos foi feito em 14 estados e no DF. Queijo parmesão, macarrão e biscoito de polvilho também são destaque.

Você sabe se a padaria que você frequenta utiliza as BPNs? E se você leu BPNs e pensou “o que é isso?”, é melhor continuar lendo essa matéria!

Segunda fase do acordo dá atenção aos alimentos mais consumidos pelo público infanto-juvenil.

Um levantamento realizado pelo ProTeste revela: duas fatias de tender têm mais da metade da quantidade de sal que você deve ingerir por dia!

O refrigerante é classificado como uma bebida gaseificada não-alcoólica e não fermentada, que apresenta em sua composição: água mineral misturada com açúcar ou edulcorante, extratos ou aroma sintetizado de frutas ou outros vegetais, corantes e gás carbônico. Mas será que essa combinação de ingredientes faz bem à saúde?

Estudo realizado pela Anvisa, com mais de 20 tipos de alimentos industrializados, aponta: o macarrão instantâneo apresenta alta quantidade de sódio, acima da média permitida.

Costuma-se optar pela praticidade dos temperos prontos. A Proteste, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, faz o alerta de que eles podem ser os vilões das receitas.