Início Saúde da Mulher Sete fatos sobre a fertilidade feminina que você precisa saber

Sete fatos sobre a fertilidade feminina que você precisa saber

48
2

A fertilidade é um tema importante para muitas mulheres, principalmente as que nasceram com um forte instinto materno. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que não são poucas as que se deparam com dificuldades para engravidar: uma em cada 15 mulheres na faixa de 20 e 30 anos e uma em cada 8 mulheres com idade entre 30 e 40 anos.

“Em um  momento de vulnerabilidade, quando as coisas não acontecem exatamente do jeito que queremos, começamos a procurar explicações para os nossos problemas de saúde. É aí que os mitos começam a circular”, afirma o ginecologista Joji Ueno.

Existem muitas dúvidas sobre o que ajuda ou atrapalha na hora de engravidar. O ginecologista Joji Ueno, formado pela USP e diretor da Clínica GERA, fala sobre sete mitos da fertilidade feminina:

MITO: Apenas dietas e exercícios preservam a sua fertilidade.
FATO: Independente da mulher ser uma pessoa saudável ou não ocorre uma queda natural na qualidade dos óvulos por causa da idade.
DICA MÉDICA: “Com a idade de 40 anos, uma mulher é mais suscetível a um aborto espontâneo e a sofrer complicações do que a dar à luz. Em relação a seguir uma boa dieta, é importante saber que o peso ideal pode melhorar as chances de engravidar em qualquer idade”.

MITO: A pílula anticoncepcional dificulta a gravidez.
FATO: O uso de anticoncepcional oral não interfere na maior ou menor fertilidade da mulher. Na verdade, a pílula pode retardar ou mesmo prevenir o desenvolvimento de cistos ovarianos e de endometriose.
DICA MÉDICA: Os estudos mostram que quando a mulher para de tomar as pílulas anticoncepcionais, elas voltam a ovular normalmente em até três meses. “Uma mulher pode começar a tentar engravidar logo após parar de tomar a pílula, não existem impedimentos.”

MITO: Para engravidar rapidamente, você deve ter relações sexuais todos os dias.
FATO: O esperma pode se manter vivo no organismo feminino por cerca de 38 a 72 horas, por isto, não há necessidade real de fazer sexo todos os dias para engravidar.
DICA MÉDICA: “Descobrir quando vai ovular é uma informação importante para as que desejam engravidar, pois pode-se aumentar a frequência das relações sexuais cerca de  dois a três dias antes e depois do dia da ovulação.”

MITO: O estresse é o problema mais comum entre as mulheres que tem problemas para engravidar.
FATO: A infertilidade, sem dúvida, provoca estresse, mas o estresse não causa infertilidade. A maioria dos casos de infertilidade é resultado de problemas físicos no sistema reprodutivo.
DICA MÉDICA: São muitos os programas de tratamento da infertilidade que já abrangem o aconselhamento individual e do casal para ajudar homens e mulheres a lidarem melhor com o diagnóstico e com o tratamento da infertilidade.

MITO: Se você tem ciclos menstruais regulares, você não terá problemas para engravidar.
FATO: Menstruações regulares  indicam que a mulher está ovulando normalmente, mas não garantem que estes óvulos são de boa qualidade. Isso varia de acordo com a idade do casal.
DICA MÉDICA: Problemas ovulatórios, obstruções na trompa, doenças uterinas, infecções no colo do útero e fatores imunológicos estão entre as principais causas de infertilidade feminina. Estão também o uso de drogas, álcool, remédios sem prescrição e hábitos de vida sedentários que podem causar infertilidade.

MITO: Ter um aborto espontâneo afeta a sua capacidade de engravidar novamente.
FATO: Um aborto afeta a fertilidade somente se a mulher teve uma complicação, durante ou após o ocorrido.
DICA MÉDICA: De acordo com um estudo holandês recente, mesmo as mulheres com episódio de abortos recorrentes podem estar certas de que o tempo que levam até uma concepção subsequente é praticamente igual à de uma mulher em idade fértil.

MITO: Se você já teve um filho, conceber novamente será mais fácil.
FATO: Ter engravidado naturalmente uma vez, com facilidade, não é garantia de que o mesmo acontecerá uma segunda vez.
DICA MÉDICA: “Seja qual for a causa da infertilidade secundária, ela se desenvolveu ou se agravou, após a primeira gestação.” Para toda mulher que desejar ter um filho, é importante o acompanhamento médico para garantir uma gestação saudável antes, durante e depois.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui