Início Saúde Física Rodízio de adoçante

Rodízio de adoçante

42
0

Açúcar ou adoçante? Se você fez a segunda opção faz parte de 35% dos lares brasileiros que já utilizam o adoçante no lugar do açúcar. Porém, seu consumo excessivo pode causar alguns males à saúde, que vão desde diarréia até câncer. Para prevení-los sem sair da dieta uma alternativa é o rodízio de adoçantes.

Este procedimento é recomendado pela Organização Mundial da Saúde para evitar o acúmulo de uma única substância química no organismo. O adoçante tem como princípio ativo o edulcorante e pode ser artificial ou natural. O ideal é que haja o consumo intercalado dessas substâncias, teoricamente, informadas nos rótulos dos produtos.

Portadores de diabetes do tipo 2 devem também dar atenção a um outro fator. Para pessoas que possuem restrições ao consumo de açúcar são indicados os adoçantes dietéticos, já que os adoçantes de mesa contêm açúcar em sua composição, ainda que em pequenas quantidades.

Confira a lista dos tipos de edulcorante e faça seu rodízio!

ARTIFICIAIS

Aspartames: É o tipo mais utilizado entre os adoçantes, tem capacidade de adoçar 200 vezes mais que a sacarose. Seu valor energético é de 4 calorias/gramas. Deve ser evitado por pessoas que sofrem de fenilcetonúria, pois contém fenilalanina em sua composição.

Sacarina: É o tipo mais antigo de adoçantes com capacidade de adoçar 500 vezes mais que a sacarose, porém deixa sabor residual na boca. É bastante utilizado em alimentos, cosméticos e medicamentos.

Ciclamato: É bastante utilizado em alimentos, mas é proibido em alguns países por provocar efeitos cancerígenos, mutação em células e alergia. Adoça 50 vezes mais que a sacarose.

Sucralose: É bastante utilizada em produtos esterilizados, UHT, pasteurizados e assados, pois é estável a grandes temperaturas. É eliminada totalmente do organismo pela urina num prazo máximo de 24 horas. Não produz cáries e reduz a produção de ácidos que as produzem. Adoça 600 vezes mais que a sacarose.

Acessulfame-k: É o adoçante mais resistente ao tempo e às altas temperaturas. Adoça 200 vezes mais que a sacarose e é eliminada totalmente pelo organismo através da urina.

NATURAIS

Frutose: É extraído de frutas, cereais e mel, tem capacidade de adoçar 173 vezes mais que a sacarose. Deve ser usado com moderação já que provoca cáries e tem consumo limitado para diabéticos.

Sorbitol: Originado de frutas e algas marinhas, adoça 50 vezes mais que a sacarose. Seu uso é restrito a pessoas que não são diabéticas e que não são obesas. Resiste às altas temperaturas, evaporação e cozimento.

Manitol: É encontrado em vegetais e algas marinhas, tem capacidade de adoçar 70 vezes mais que a sacarose. Não é recomendado a diabéticos e produz efeito laxativo se usado em grandes quantidades.

Esteovídeo: Tem capacidade de adoçar 300 vezes mais que a sacarose e é encontrado na planta Stevia Rebaudiana. Não contém calorias e é estável em altas temperaturas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui