Início Saúde Corporativa RN nº195/196 – Pontos Positivos

RN nº195/196 – Pontos Positivos

99
4

As mudanças na RN nº 195/196 anunciadas nesta quarta-feira, 15, pela ANS em relação aos Planos de Saúde coletivos, colocam mais um impasse nas negociações entre empresas e operadoras. Após a crise financeira que abalou contratos, elevou a inadimplência, o custo dos planos e atrasou o pagamento por parte de algumas operadoras, a temporada prometia reajustes menores. Porém, com o anúncio de mudanças na regulamentação dos planos as negociações tomam outro rumo.

As empresas de planos de saúde têm o prazo de um ano para se adequarem às mudanças. Os reajustes calculados pelos custos médicos e índices de sinistralidade eram negociados de acordo com as necessidades das companhias e operadoras, agora será limitado a uma única vez ao ano. Isso impede que os planos sejam vendidos a preços baixos e reajustados a preços altíssimos.

Já a restrição de benefícios e cobertura a planos empresariais ou por adesão naqueles com 30 ou mais beneficiários garante mais segurança e impossibilita que qualquer associação sem vínculos trabalhistas ou classistas tenham planos coletivos, atrativo pelo preço mais baixo em relação aos planos individuais.

As medidas são válidas, mas não são ideais principalmente porque a ANS não estipulou nenhum limite ao valor do reajuste. O mercado conturbado exige controle já que o setor movimenta cerca de R$ 60 bilhões ao ano e lida com a saúde de 61,5% de beneficiários.

*Para otimizar ainda mais seu Plano de Saúde e reduzir custos, consulte a Victory, especializada em Gestão de Benefícios para empresas, através do site ou pelo telefone 11 5088-0000.

Fonte: Valor Econômico

4 COMENTÁRIOS

  1. Acho que deveria ser obrigatório os planos de saúde manter um custo razoável para beneficiário acima de 59 anos, reduzindo a quantidade de hospitais no plano escolhido.
    Ex. Foi escolhido um plano estandard com Enf e Apto. e este plano possui 10(dez) Hospitais, credenciados ou Próprios, passariam para três e o custo seria suportável para ser pago por um beneficiário Idoso e assim para Clinicas e Laboratórios ( Rede Nacional).
    O que acontece com o benenficiario que possui um plano com bons recursos o Idoso fatalmente deverá migrar para um plano mais simples e sem muita condições de ter um bom atendimento por estar superlotados e com médicos sempre com a cara feia e sem vontade de trabalhar.
    vomos pensar, alem de outras medidas vamos pensar nesta.
    abraços

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui