Início Saúde Social Revistas sem modelos abaixo do peso, a moda agora é ser saudável!

Revistas sem modelos abaixo do peso, a moda agora é ser saudável!

25
1
Imagens respectivamente: Dior, Vogue e Vogue

Não dá até raiva de olhar as fotos de modelos magrinhas e esbeltas? A pergunta “Por que eu não sou assim?” entra na mente de muitas mulheres que analisam os editoriais de moda.

Grande parte da população brasileira se diz insatisfeita com a silhueta do corpo e são os latino-americanos que mais recorrem a remédios para emagrecer, segundo pesquisa da Nielsen Holding. Quadros de descontentamento com a aparência podem ser pintados em grande parte do mundo: a Itália é um país que sofre de distúrbios alimentares, assim como os Estados Unidos.

A exposição de modelos muito magras preocupa a sociedade, pois se acredita que seja um dos estímulos que multiplicaram os casos de anorexia e bulimia entre garotas (e até mesmo entre os meninos).

Modelos abaixo do peso, extremamente jovens e por vezes retocadas com Photoshop, se afastam da realidade das leitoras e as levam a buscar condições muitas vezes prejudiciais à saúde para se igualar às imagens exibida nas revistas de moda.

Como resposta à preocupação da saúde das modelos e à imagem que elas transmitem a outras mulheres, a revista Vogue decidiu mudar o cenário do mundo fashion: a partir de junho, a moda será ser saudável.

A ideia é fazer uso de modelos que sejam mulheres de carne e osso, mulheres de verdade, que espelhem as leitoras, ao em vez dessas tentarem se aproximar da aparência das modelos.

Além da mudança visual, todas as edições da revista, publicada mundialmente, falarão sobre estilo de vida saudável, desde o conteúdo exibido até palestras e seminários. O interessante é que cada edição se adequará as necessidades dos países. As revistas brasileiras irão focar no uso de remédios emagrecedores, nos Estados Unidos os distúrbios alimentares serão abordados e na China, a ingestão de alimentos gordurosos e o alto colesterol entre os adolescentes entram em foco.

A campanha com o nome de “The Health Iniciative” (A Iniciativa da Saúde) terá início em junho deste ano. Vamos ficar de olho para ver as mudanças que serão geradas nas páginas da revista e na vida das mulheres. Que essa moda pegue!

1 COMENTÁRIO

  1. Deveria existir um controle maior nesses desfiles. É inadmissível que se permita que modelos magérrimas, quase desnutridas desfilem na passarela exibindo uma grife famosa. Eis um estímulo, quase que uma apologia a um corpo nada saudável.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui