Início Saúde Ambiental O remédio venceu? Saiba onde e como ele deve ser descartado…

O remédio venceu? Saiba onde e como ele deve ser descartado…

32
0

Uma rede de supermercados e uma empresa farmacêutica se uniram à Prefeitura de São Paulo para oferecer aos consumidores um local correto e seguro para que descartem os medicamentos vencidos ou fora de uso.

A iniciativa busca incentivar as pessoas a deixarem de jogar remédios no lixo comum ou no vaso sanitário, evitando que contaminem o solo ou a água. Os medicamentos constituem risco ambiental e são considerados resíduos perigosos. Por isso, devem ser incinerados!

Como funciona a coleta?

Serão recebidos remédios de todas as marcas e de vários tipos, como agulhas, vidros de xarope, cartelas de comprimidos, ampolas, blisters e bisnagas. Para garantir a segurança dos clientes e funcionários, principalmente por causa dos produtos cortantes, as urnas contam com um revestimento de uma película plástica, que elimina o risco de acidentes, além do sistema de lacre que impossibilita a coleta dos resíduos por pessoas não-autorizadas.

Informações importantes

– Todos os medicamentos devem ser descartados em sua embalagem original, sempre fechada (vidro com xarope, bisnaga com pomadas e cartela com os comprimidos, por exemplo);

– As seringas e agulhas também podem ser descartadas. Para evitar acidentes, o ideal é a utilização de um recipiente rígido para armazená-los, como latas de achocolatados;

– Caixas e bulas, que não tiveram contato direto com o remédio, podem ser descartadas em postos comuns de reciclagem de papel.

Onde?

O projeto foi lançado na capital paulista pelo Pão de Açúcar e Eurofarma. Em um primeiro momento, cinco lojas – três do Extra e duas do Pão de Açúcar – oferecerão postos de arrecadação dos medicamentos. A  expectativa é, a partir do ano que vem, estender o projeto “Descarte Correto de Medicamentos”, para 154 drogarias do Grupo em todo País.

Nas lojas, o consumidor vai encontrar, ao lado da drogaria do supermercado, uma urna com duas entradas: uma para o material cortante (agulhas, vidro) e outra destinada às cartelas e comprimidos.

Hoje ainda não existem locais apropriados e regulamentação sobre o descarte de medicamentos no País. O Departamento de Limpeza Urbana (Limpurb) da Prefeitura, por meio das concessionárias Loga e Ecourbis, será responsável pela coleta, transporte, tratamento e destinação final dos resíduos. O projeto conta também com  o apoio e aprovação da COVISA (Consultoria Técnica em Vigilância Sanitária).

Segundo Maria Del Pilar Muñoz, diretora de Sustentabilidade e Novos Negócios da Eurofarma, é importante começar pela cidade de São Paulo, que representa 16% das vendas no varejo na área farmacêutico do País. “A região é a que tem maior demanda e impacto”, ressalta.

Postos de coleta

Pão de Açúcar – lojas Real Parque e Jabaquara;

Extra – lojas Itaim, Penha e João Dias.

É lixo que não acaba mais…

No Brasil são geradas diariamente 241.000 toneladas de lixo, sendo 90.000 produzidas nos domicílios. Na cidade de São Paulo, o volume chega a cerca de 10.000 toneladas por dia.

Para alguns produtos e embalagens, como a latinha de alumínio e o papelão, a participação da população na coleta e reciclagem é fundamental. Em 2009, pela oitava vez consecutiva, o Brasil foi campeão mundial na reciclagem de latinhas – do total de latas de alumínio para bebidas comercializadas no mercado interno em 2008, 91,5% foram recicladas.

Há, no entanto, uma série de produtos que ainda precisam de solução para o descarte correto, caso dos medicamentos e embalagens primárias (aquelas que têm contato direto com o produto). Para se ter ideia, só no varejo são vendidas aproximadamente 170 milhões de unidades de medicamentos e/ou produtos farmacêuticos por mês.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui