Início Saúde Social Medicamentos para hipertensão, diabetes e asma são gratuitos pelo #saudenaotempreco

Medicamentos para hipertensão, diabetes e asma são gratuitos pelo #saudenaotempreco

62
1

O ditado popular “saúde não tem preço” é levado tão a sério pelo governo brasileiro que virou o nome de parte do Programa Farmácia Popular. Pelo Saúde Não Tem Preço, remédios são oferecidos de graça para portadores de doenças crônicas, como diabetes, hipertensão e asma.

Desde fevereiro de 2011, o programa já beneficiou 10 milhões de pessoas que precisaram de remédios para hipertensão e diabetes. Agora, com a inclusão do medicamento gratuito para a asma, mais de 31 mil asmáticos puderam desfrutar de uma qualidade de vida melhor.

Além de poupar dinheiro da população, o Saúde Não Tem Preço acaba reduzindo os gastos do Sistema Único de Saúde (SUS), uma vez que diminui o número de internações por conta de doenças crônicas. Em 2011, foram menos 8,4 mil internações por causa da hipertensão e 2,7 mil a menos por causa da diabetes.

O programa é de fácil acesso para toda a população. Para retirar medicamentos de graça, é preciso procurar farmácias e drogarias privadas credenciadas ou a rede Farmácia Popular e apresentar o CPF, receita médica válida e documento com foto! Só isso para ter acesso a gratuito a 14 medicamentos específicos para hipertensão diabetes e asma.

Já existem mais de 20 mil farmácias na rede “Aqui Tem Farmácia Popular” em mais de 3.200 municípios. Para conferir onde encontrar uma unidade perto da sua casa, acesse as localizações disponíveis no portal da Saúde clicando aqui.

Veja o vídeo da campanha!

Você conhece alguém que tenha asma, hipertensão ou diabetes? Então, não deixe de compartilhar essa informação e ajudar quem precisa! Acesse o Facebook do Ministério da Saúde para saber mais.

1 COMENTÁRIO

  1. Excelente programa popular. Ajuda milhões de brasileiros. Eu disse brasileiros? É claro que, sendo brasileiros, sempre tem alguém que visa seus interesses de modo não muito de acordo com esse grande projeto.
    No Rio de Janeiro, me dirigi a uma loja da rede de farmácias MAX, loja na Urca e perguntei se tinha Glifage e Sinvastatina. Disseram ter. Apresentei a receita e pedi o medicamento. Aí, tudo mudou. disseram que eu teria que pagar um pouco mais de seis reais pelo remédio sinvastatina da farmácia popular e quanto ao Glifage já nao tinham mais. Só para venda normal.
    É certo isso? Perguntei ao balconista e me disse que é norma em todas as drogarias max e faz parte do acordo para distribuirem na Farmácia Popular.
    É assim mesmo? Cada farmácia cobra o quanto quer para fornecer o medicamento que o governo diz que é grátis e que esse é o acordo que têm?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui