Início Saúde Física Lesões no esporte: Pierre conta sobre sua situação

Lesões no esporte: Pierre conta sobre sua situação

63
1

Ronaldo, Phelps, Nadal, ídolos de todos os esportes já sofreram lesões. Elas são um dos maiores inimigos de quem pratica esporte, desde atletas de alto nível até os de final de semana.

Quando o assunto é esporte competitivo existe toda uma estrutura e acompanhamento profissional, tanto na prevenção quanto no tratamento adequado de fraturas, contusões, luxações, etc. Já entre as pessoas que frequentam academias ou praticam esportes como lazer não existe a mesma preocupação. É por isso que lesões podem ocorrer em ambos os casos, independente da intensidade ou frequência do exercício.

Geralmente as lesões ocorrem na melhor fase do atleta, no ápice de seus treinamentos e quando há estresse pela cobrança. O esportista lesionado deve passar por tratamento e um período de repouso. O retorno às atividades é extremamente delicado, pois o atleta não estará logo de início nas mesmas condições físicas e psicológicas que se encontrava antes da lesão. A melhor maneira de regressar com sucesso e não sofrer outros prejuízos ocorre de forma gradual com supervisão médica e o apoio dos colegas e familiares.

O Blog da Saúde ouviu o volante palmeirense Pierre, que sofreu uma lesão no tornozelo esquerdo durante um treino este mês para contar um pouco da sua experiência.

1. Jogadores de futebol, como de outros esportes, estão propensos a sofrer lesões. Quais são os principais cuidados que você toma para não se lesionar?
R: Acho que precisa ter um cuidado preventivo. Dentro de campo, nós estamos sujeitos a tudo. Eu mesmo lesionei o tornozelo sozinho, durante um treino. Estamos sujeitos a isso. Mas os principais cuidados também estão fora de campo, como descansar e se alimentar bem. Isso faz a diferença para ter um alto rendimento.

2. Você acredita que sua lesão no treino coletivo pode ter relação com a sobrecarga nos treinamentos, visto que você “se machucou sozinho”?
R: Não tem essa coisa de sobrecarga. Os treinos têm geralmente 1h, 1h30 de duração, o que é o normal em qualquer clube. Além disso, os treinos são dosados, e se a gente se sente um pouco mais cansado, comunicamos o preparador, que dá um treino individualizado. O que aconteceu foi da vida mesmo, infelizmente.

3. Esta foi sua lesão mais complicada na carreira? Qual a diferença desta para outras que você já teve?
R: Acho que foi sim, pois jamais fiquei tanto tempo parado. Mas o pior é ficar parado num momento tão importante, onde o time está na liderança e precisando de todos no elenco. O que mais dói é ficar parado num momento importante como esse, mas eu já estou bem, pois sei que essa lesão poderia ter sido pior.

4. Qual foi sua reação ao saber que ficaria afastado dos gramados por 3 meses neste momento tão importante para o palmeiras?
R: A reação foi de tristeza. A gente fica até inconformado, pois foi uma lesão ‘boba’, que aconteceu do nada. Mas logo fiquei bem, pois três meses passa rápido. Tenho esperança de voltar ainda este ano. Estou tendo o apoio dos meus familiares e isso também ajuda no dia-a-dia.

5. Como o próprio Muricy já disse você é o coração do Palmeiras, além do grande responsável por desarmes e passes de bola no time. Como você acha que o time ficará psicologicamente com seu afastamento?
R: O Muricy e o próprio elenco falam que o time não tem ninguém com a minha característica, mas temos correspondido bem. O elenco possui ótimos volantes e tenho certeza que vamos brigar pelo título até a última rodada. A qualidade e o comprometimento do elenco me dão essa segurança.

6. Você acredita que as lesões em si e o tempo afastado dos treinamentos e jogos pode afetar a carreira de qualquer atleta competitivo (física e psicologicamente)?
R: Dependendo da lesão, sim. Tem muitos atletas que sofrem lesões graves de joelho que ficam muito tempo de fora, até um ano. Comigo não foi assim, felizmente. Mas é aquela coisa. Depois de um tempo após a lesão, a gente volta logo aos gramados e nem fica pensando no que já aconteceu.

7. Diego Souza e Cleiton Xavier foram convocados para a seleção. Se você não tivesse se lesionado teria grandes chances de ser também, não acha?
R: Um dos meus sonhos é chegar à seleção. Sei que tenho potencial para isso, e em 2010 vou fazer de tudo para tentar conseguir esse objetivo. É claro que isso será uma consequência do que eu fizer no Palmeiras. Por isso quero primeiro voltar bem e me concentrar aqui.

pierre final
Divulgação
pierre carregado
Pierre logo após ter sofrido lesão - Divulgação

1 COMENTÁRIO

  1. adorei o programa de voces principalmente as perguntas e respostas
    voces sao 1000000000000000000000000000000000000000000

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui