Início Saúde Física Inovação no combate ao Glaucoma

Inovação no combate ao Glaucoma

58
0

Nada melhor do que aproveitar o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, comemorado hoje dia 26 de maio, para contar com um novo dispositivo de controle da pressão intraocular que impede a evolução do problema.

Apesar da doença crônica ser silenciosa e não ter cura, na maioria dos casos pode ser controlada com tratamento adequado e contínuo – e o sucesso no combate tem ligação direta com o diagnóstico precoce.

A terapia clínica inicial é feita com colírios que estabilizam a pressão intraocular. Se o medicamento se tornar ineficaz, o paciente é candidato à cirurgia de glaucoma.

Vamos ao novo implante

Batizado de Ex-PRESS e produzido pela Alcon, o produto obteve aprovação da Anvisa e a partir de julho estará disponível no Brasil. Os Estados Unidos, Canadá e União Europeia já contam com o método.

O dispositivo, do tamanho de um grão de arroz, é implantado próximo à íris com a finalidade de drenar o excesso de líquido que pode prejudicar a visão.

Possibilita melhor resultado cirúrgico e mais previsibilidade quando comparado à cirurgia tradicional de glaucoma (trabeculectomia), realizada em pacientes que não respondem mais a medicamentos tópicos.

A doença não apresenta sintomas e é progressiva, por isso a maioria dos pacientes descobre que tem a enfermidade quando a perda da visão já é irreversível, alerta o Dr. João Antônio Prata Jr., presidente da Sociedade Brasileira de Glaucoma (SBG).

Prevalência

A doença, apontada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a principal causa de cegueira irreversível, atinge cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo – cerca de 3 milhões nos Estados Unidos.

No Brasil, onde há aproximadamente 1 milhão de portadores de glaucoma, estima-se que mais da metade dos doentes não sabe que tem a enfermidade.

Os principais fatores de risco são:
– histórico familiar
– pressão intraocular elevada
– idade acima de 50 anos
– diabetes mellitus
– uso prolongado de corticóides
– presença de lesões oculares
– descendência negra

Recomenda-se que pessoas que apresentam um ou mais desses fatores consultem um oftalmologista uma vez ao ano. As demais podem fazê-lo a cada dois anos. Passe a informação adiante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui