Início Destaque Finasterida contra a calvície masculina

Finasterida contra a calvície masculina

17
0

A calvície é um estado que provoca temor entre os homens. Os primeiros sinais surgem entre os 17 e 23 anos e há inúmeros motivos para que ocorra, como hereditariedade, hormônios masculinos, excesso de oleosidade, aplicação exagerada de produtos químicos, distúrbio da tireoide, má alimentação, uso de alguns medicamentos e estresse.

Para evitar a perda rápida dos fios, muitos homens fazem uso do medicamento Finasterida, também utilizado para o tratamento de Hiperplasia Prostática Benigna (aumento da próstata). “Nos casos de calvície masculina, os pacientes respondem bem à Finasterida, porque a medicação bloqueia o efeito da testosterona no couro cabeludo”, afirma a dermatologista Annia Lourenço.

No entanto, há um certo medo dos efeitos colaterais que este medicamento pode causar. “Estudos feitos em laboratórios mostram que a Finasterida não provoca infertilidade”, diz o Urologista do Hospital Leforte, Dr. Flávio Iizuka.

Um pequeno detalhe deve ser levado em conta, há duas doses deste medicamento, o de 1 mg e o de 5 mg. A dose maior é preferencialmente indicada para o tratamento de Hiperplasia Prostática Benigna (HPB) e os pacientes que fazem uso desta dosagem podem sofrer alguns efeitos adversos. “A dose de 5 mg pode provocar impotência para 3,7% dos pacientes e diminuição da libido em 3,3% dos que usam regularmente, além da redução do volume do ejaculado (sêmen) em 2,8%”, alerta o urologista.

Os efeitos são reversíveis e desaparecem com a suspensão do medicamento. “Caso não provoque efeitos adversos ou intolerância, espera-se que seja apenas benéfico para as indicações específicas de tratamento”, afirma Dr. Iizuka, “apesar de seguro, não recomendo a automedicação”.

O uso deve ser monitorado por um profissional qualificado. Para tratamento de HPB, é necessário buscar um urologista, que irá prescrever a dose de 5 mg. Para tratamento de calvície, um dermatologista ou clínico geral indicará a dose de 1 mg.

Dr. Iizuka informa alguns cuidados que devem ser tomados: “pacientes portadores de insuficiência hepática devem adotar cuidados com a medicação que é metabolizada pelo fígado, de forma a poder desenvolver sintomas de superdosagem ou efeitos adversos, mesmo tomando a dose recomendada”.

Além disso, é importante notificar o urologista sobre a dose que é usada, pois a Finasterida reduz o valor normal de PSA, exame que é usado na detecção e prevenção ao câncer de próstata.

Um outro detalhe é o uso deste medicamentos por mulheres. Ele é totalmente ineficaz no caso de calvície feminina e traz riscos à saúde. Além disso, a manipulação deste medicamento por mulheres grávidas pode provocar má formação no bebê.

A Finasterida é o melhor tratamento, segundo a dermatologista, mas outros podem ser associados a ela, como o Minoxidil, Aminexil, Vitaminas ou , até mesmo, tratamento à laser ou LED.

Vale lembrar que é indispensável buscar um médico antes de iniciar qualquer tratamento. Assim que os primeiros sintomas surgirem, o especialista indicará a cura adequada para a situação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui