Início Últimas Notícias CONARH 2012 Educação Corporativa deve ser provocada pela necessidade de obter resultados mensuráveis

Educação Corporativa deve ser provocada pela necessidade de obter resultados mensuráveis

74
0

Todo programa de Educação Corporativa precisa trazer uma solução ou oportunidade para a empresa, ser mensurável em resultado financeiro, transformar o comportamento do indivíduo e trazer conhecimento aplicável. É com essa frase que Vandyck Silveira, Presidente do Ibmec, defende que a Educação Corporativa deve ser, além de uma bonificação, um alimento educacional ao funcionário, um programa de valor real e mensurável para as organizações.

O executivo ministrou uma palestra rica nesse conceito durante o CONARH ABRH 2012 – 38º Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas.

Aplicar um programa desse porte dentro de uma organização traz um benefício enorme ao crescimento profissional e intelectual do funcionário. Vandyck não nega isso, mas avalia o que de fato vai levar uma empresa a implantar um projeto de Educação Corporativa. Segundo ele, antes de tomar essa decisão, deve-se olhar para dentro da corporação e avaliar: o que isso vai trazer em benefício mensurável (financeiro) para a empresa? isso está de acordo com a estratégia? qual é a ambição da empresa em aplicar isso? e, completa, “mais importante do que gerar esse conhecimento é a forma como será usado em prol da corporação”.

Capital humano alinhado ao plano de estratégia

“Muitas empresas acreditam que no plano de estratégia o capital humano vem a reboque. E não é assim”, explica Vandyck. Para resolver um problema, ou ativar uma oportunidade, um programa de Educação Corporativa deve trabalhar com três pontos em conjunto:

1-conhecimento cognitivo (universidade e escolas de negócios)

Conceito – “compartilhamento de ideias”.

Vandyck – “O mais comum é usar apenas esse pilar. Mas, sozinho, não traz o resultado que se espera”.

2-aplicação prática (empresa de consultoria)

Conceito – “faço para você, mas não te ensino”.

Vandyck – “Outro ponto que não funciona da maneira que é feito. Deve-se trabalhar COM você e não PARA você”.

3-comportamento (coaches, mentores e psicólogos)

Um exemplo de como pode ser feito o programa:

4 Workshops de alinhamento + 6 sessões de Coaching e 6 de Consultoria + Wrap up session (avaliação; planejamento do próximo desafio; resultados alcançados; e mensuração).

“Acredito que o Recursos Humanos precisa ser parceiro na geração de valor. Devemos pensar que a Educação Corporativa deve ser provocada pela necessidade de obter resultados mensuráveis. É uma solução que produza competência organizacional replicável”, conclui o executivo do Ibmec.

Outros executivos que também tocaram no tema: 

“Somente as empresas com alma desenvolvem talentos” – Javier Fernández Aguado, diretor-geral do Mindvalue Group. 

“Não utilizo a expressão ‘mão-de-obra’ porque o que eu preciso é o coração e a inteligência” – Jorge Gerdau Johannpeter, Presidente do Conselho de Administração da Gerdau. 

“Educação não é social. É economia pura. Os países mais ricos são aqueles que também são primeiro em educação. A educação afeta todas as dimensões” – Marcos Magalhães, Presidente do Instituto de Co-Responsabilidade pela Educação. 

“Para o SENAI, o compromisso é com a qualidade do capital humano” – Rafael Lucchesi, diretor-geral do SENAI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui