Início Saúde Corporativa Como pensar “fora da caixa”?

Como pensar “fora da caixa”?

78
1

Criatividade e mente aberta é um diferencial fulcral para o profissional moderno

O mundo está cheio de problemas que necessitam de soluções. Respostas práticas e objetivas para os desafios é o que o mercado de trabalho tem buscado. A criatividade muitas vezes é considerada fruto da genialidade ou inspiração divina, mas, antes de qualquer coisa, ela é a capacidade de identificar problemas e encontrar soluções inteligentes e, claro, uma resposta ousada em relação aos pensamentos padronizados. “Ninguém espera encontrar um próximo Steve Jobs ou inventor do carro voador, mas querem e contratam pessoas que sejam solucionadoras”, explica Dr. Jô Furlan, pesquisador em Neurociência do comportamento e especialista em desenvolvimento comportamental para empresas.

A realidade é que, para sobreviver em um mundo em rápida mudança, o que você precisa é de ideias novas. O pensamento crítico tem sido considerado como a habilidade essencial para o sucesso, mas não é o suficiente. “A criatividade vai muito além da mera síntese neural, pois ela é capacidade de avaliação e julgamento. Em 2010, a criatividade foi o fator mais importante para o sucesso encontrado em uma pesquisa da IBM, realizada com 1.500 executivos em 33 indústrias. O Linkedin divulgou que nos últimos dois anos o termo criativo foi o mais usado”, lembra Dr. Jô Furlan.

Open SignSegundo o treinador comportamental, disciplinas acadêmicas tradicionais não deixam de ser importantes, mas o conhecimento como conteúdo evolui na velocidade da luz e os educadores estão falando mais e mais sobre “habilidades de processo”, estratégias para reformular desafios que extrapolam e transformam as informações, além de lidar com a ambiguidade de certos resultados.

Disciplinas que envolvem estudos criativos estão aparecendo em listas de cursos das principais universidades dos Estados Unidos, como Universidade de Nova York, Universidade Saybrook, em San Francisco – esta última possui mestrado e, em 2011, acrescentou uma especialização para o curso Ph.D. em Psicologia focada em criatividade. A Universidade Drexel, na Filadélfia, tem um mestre sobre administração criativa há três anos. “Esses cursos de desenvolvimento dessa habilidade não servem apenas para as áreas de artes e comunicação, como muitos pensam. Um bom engenheiro precisa de muita inovação para desenvolver um projeto de sucesso e um advogado precisa de uma boa dose de imaginação para convencer um júri a votar a favor do seu caso”, analisa.

Mercado de trabalho

As empresas querem inventividade sob demanda, e isso não é algo tão escandaloso quanto parece. “Claro, algumas pessoas são naturalmente mais imaginativas do que outras. Porém, todo mundo é criativo e pode aprender a ser mais assim. Chegar em uma mentalidade criativa envolve um monte de tentativa e erro”, explica Dr. Jô Furlan.

Uma dica do treinador comportamental para exercitar a criatividade é construir um currículo baseado em coisas que não deram certo e encontrar o significado e a influência que estes tiveram em suas escolhas. Ou construir a estrutura mais alta que puder com 20 palitos de picolé. “O segredo é reimaginar as coisas e ver tudo por um ponto de vista diferente do que você está acostumado. Quebre regras. Entre em uma biblioteca e faça piruetas, peça um hambúrguer em uma sorveteria, execute ações que pareçam absurdas. Em algum momento vai parecer que você é um tolo. O segredo da sua criatividade está em como você vai lidar com essas situações”, finaliza.

Sobre Dr. Jô Furlan

Dr. Jô Furlan é médico, professor e pesquisador na área de  Neurociência do Comportamento, autor da Teoria da Liderança  Comportamental, primeiro Treinador Comportamental do Brasil,  conferencista internacional, especialista em Desenvolvimento Comportamental Humano, foi professor convidado do Curso de  Especialização em Medicina Comportamental da Unifesp (Universidade  Federal de São Paulo) por oito anos e um dos precursores do conceito na América do Sul.

1 COMENTÁRIO

  1. Pensar é o que faz falta. Parodiando Ford, " muitos pensam que não é para pensar ".
    Quando tudo o que as empresas precisam hoje, são de mentes criativas. Entretanto, poucas sabem reconhecer quando tem um valor destes nos seus quadros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui