Início Outubro Rosa Câncer de mama: restauração aréolo-mamilar

Câncer de mama: restauração aréolo-mamilar

90
0

19168717O Câncer de Mama possui um tratamento invasivo e é muito comum que as mulheres sejam submetidas à mastectomia, cirurgia de retirada parcial ou total da mama. A operação deixa danos físicos e psicológicos, já que a perda da mama acarreta na perda de autoestima das pacientes que se sentem menos femininas. Uma das soluções mais procuradas por essas mulheres é a reconstrução da mama, quando não há contraindicações médicas. Em alguns casos acontece a perda da aréola e mamilo. Nessas ocasiões é possível fazer a reconstrução do complexo aréolo-mamilar. O enxerto de pele é uma das maneiras mais tradicionais de se fazer essa restauração, no entanto ele nem sempre tem a aprovação da paciente devido à diferença de cores entre as aréolas. Uma alternativa para esse contraste é a micropigmentação que é mais eficaz, nesse sentido.

A Restauração

Vanessa Silveira, mestra em Micropigmentação Fio a Fio 3D e diretora do Instituto Vanessa Silveira, explica o processo “A restauração pode ser feita pela micropigmentação logo que o seio for reconstruído e sua cicatrização tenha ocorrido adequadamente. É um método invasivo que utiliza agulhas para infiltrar pigmento (feito à base de óxido de ferro e dióxido de titânio, considerados hipoalergênicos) sob a pele, desenhando um novo complexo aréolo-mamilar, melhorando a aparência estética, que tanto incomoda a paciente mastectomizada”. A micropigmentação aréolo-mamilar tem uma grande importância na qualidade de vida e na recuperação da autoestima das pacientes mastectomizadas, no Piauí, desde abril deste ano, ela está sendo disponibilizada gratuitamente pelo SUS. “A maioria das mulheres que recorre à micropigmentação paramédica passou por uma mastectomia. Geralmente, essas mulheres já se submeteram à cirurgia de implante de próteses de silicone e recorrem a este método para obter a simetria da aréola mamária. Os resultados pós-cirúrgicos são muitos bons e têm como um dos principais objetivos promover a satisfação da paciente e fazê-la voltar a se sentir mais uma vez de bem consigo mesma”, completa a profissional.

Com a ajuda da micropigmentação é possível restaurar também a pigmentação da aréola mamária, contribuindo para a simetria dos seios. Vanessa explica que a técnica consiste na implantação de pigmentos na camada subepidérmica da pele através do auxílio de agulhas e de aparelho especializado. “A técnica é eficaz em seus resultados e produz uma uniformidade na cor dos seios, deixando-o mais similar possível ao seio existente. Tem durabilidade de aproximadamente dois anos, podendo ser prolongada por não sofrer influência dos raios solares, principal agente clareador no processo de despigmentação”, assevera.

Cuidados

O procedimento é delicado e invasivo, por isso requer cuidado especiais. O primeiro deles é na hora da escolha do profissional, que deve ser credenciado, todos os acessórios utilizados nos procedimentos, tais como agulhas, batoques e ponteiras, são descartáveis. Depois de feita, a micropigmentação precisa de cuidados para a sua recuperação perfeita e cicatrização natural. “Esse é um procedimento que trata uma região superficial e sensível, comportamentos como esfregar e coçar, nadar em mar ou piscina e banhos de água quente devem ser evitados”, alerta Vanessa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui