Início Saúde Física A importância da população idosa se manter ativa na quarentena

A importância da população idosa se manter ativa na quarentena

Idosos precisam se manter ativos fisicamente e autônomos neste momento, afirma especialista em fisioterapia

428
0
idosos na pandemia
idosos na pandemia

Como grupo de risco, o público idoso foi o que mais se restringiu na pandemia, mesmo que a orientação era que todos se mantivessem em casa.

Entretanto, ao seguir as orientações do isolamento social para a prevenção do contágio com o novo coronavírus, muitos deixaram de realizar atividades físicas no período, e tantos outros ainda seguem em quarentena.

A professora doutora Olívia Galvão, do curso de Fisioterapia do Unipê – Centro Universitário de João Pessoa, explica no que pode acarretar esta falta de movimentação e como revertê-la.

A diminuição da mobilidade por longos períodos, especialmente na população idosa, pode acarretar diminuição da força muscular, equilíbrio, menor flexibilidade, redução das amplitudes de movimento articular, diminuição da capacidade cardiorrespiratória, e todas essas alterações decorrentes da redução da mobilidade nos idosos podem trazer consequências como quedas e outros agravos mais sérios a saúde.

A especialista Olívia Galvão comenta sobre como pode ser revertido este cenário: “Diante desse momento atípico de isolamento social, os idosos devem tentar manter uma rotina de exercícios físicos diários, mesmo em seus domicílios, a exemplo de uma caminhada, uma dança, alongamentos musculares”.

Outro ponto importante é que idosos preservem sua autonomia, que é a habilidade de controlar, de lidar e de tomar decisões pessoais sobre como se deve viver diariamente, de acordo com suas próprias regras e preferências.

Jogos de tabuleiro, memória, palavras-cruzadas, entre outras atividades, podem colaborar para mantê-los ativos. Aprender a usar novas tecnologias, a exemplo de redes sociais, também é uma opção para manter os laços de afetividade com familiares e amigos neste momento.

Já para os idosos que faziam tratamento fisioterapêutico antes da pandemia e não estão podendo mais sair de casa para ir ao atendimento presencial, a recomendação da especialista é de que eles recebam orientações do seu fisioterapeuta para realizar alguns exercícios em casa sob a supervisão de outra pessoa.

A professora do curso de fisioterapia ainda destaca: “É importante que as pessoas idosas procurem o fisioterapeuta não apenas para tratar doenças e sequelas já instaladas, mas que busquem a fisioterapia como medida para a promoção da saúde e prevenção de doenças e agravos. Pois a fisioterapia, nesses casos, tem o objetivo de manter o idoso independente funcionalmente e autônomo, promovendo um envelhecimento saudável”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui