Início Saúde Física 10 Fatos sobre nutrição mundial, pela OMS

10 Fatos sobre nutrição mundial, pela OMS

79
2

A nutrição é uma parte crítica da saúde e do desenvolvimento. Uma dieta adequada está relacionada com a melhoria da saúde infantil e materna, sistemas imunológicos mais fortes, gravidez e parto mais seguros, menor risco de doenças não transmissíveis (como diabetes e doenças cardiovasculares) e longevidade.

As crianças saudáveis aprendem melhor. Pessoas nutridas são mais produtivas e podem criar oportunidades para, gradualmente, romper os ciclos de pobreza e fome.
Obesidade também é considerada má nutrição, fazendo com que o problema tenha uma carga dupla. A Organização Mundial da Saúde apresenta dez fatos para o problema desde seu estágio inicial.

1. A desnutrição, em todas as formas, é um dos principais contribuintes para doenças e mortes prematuras de mães e crianças. As deficiências vitamínicas e minerais  contribuem para cerca de um terço das mortes de crianças e comprometem o desenvolvimento saudável e produtividade durante a vida. Ao mesmo tempo, as taxas de crescimento de excesso de peso estão ligadas a um aumento das doenças crônicas. O resultado é uma dupla carga da má nutrição.

2. Um dos principais indicadores de desnutrição crônica é o nanismo – quando as crianças são muito baixas para sua faixa etária em comparação com os padrões da OMS de crescimento. Cerca de 171 milhões de crianças no mundo estão atrofiadas, de acordo com os índices de 2010, resultado da falta de alimentos, dieta pobre em vitaminas e minerais, inadequados cuidados com a criança e doença. Como o crescimento desacelera, gera atrasos no desenvolvimento do cérebro e crianças raquíticas aprendem mal. Taxas de nanismo entre as crianças são mais altas na África e Ásia. No centro-sul da Ásia 36% foram afetados em 2010.

3. Cerca de 1,5 milhão de crianças morre anualmente devido ao desperdício. Preço dos alimentos, escassez de alimentos em áreas de conflito e desastres naturais diminuem o acesso das famílias aos alimentos adequados, o que pode levar ao desperdício. Desperdício exige intervenções nutricionais de emergência para salvar vidas.

4. Vitaminas e minerais essenciais na dieta são vitais para aumentar a imunidade e o desenvolvimento saudável. Deficiências de vitamina A, zinco, ferro e iodo são primárias preocupações de saúde pública. Cerca de 2 bilhões de pessoas em todo o mundo são afetadas pela nutrição inadequada de iodo. Mais de um terço das crianças em idade pré-escolar a nível mundial tem deficiência de vitamina A. A deficiência de vitamina A é a principal causa de cegueira evitável em crianças.

5. A desnutrição materna, comum em muitos países, leva ao pouco desenvolvimento do feto e maior risco de complicações na gravidez. Juntos, desnutrição materna e infantil somam mais de 10% da carga global de doenças.

6. Para bebês mais saudáveis, a OMS recomenda o aleitamento materno exclusivo por seis meses, introduzindo na idade apropriada e segura os alimentos complementares e continuando a amamentação até dois anos ou mais. Em todo o mundo, cerca de 20% das mortes entre crianças menores de cinco anos poderiam ser evitadas se estas orientações fossem seguidas. Alimentação adequada diminui taxas de nanismo e obesidade e estimula o desenvolvimento intelectual das crianças.

7. Problemas nutricionais em adolescentes começam na infância e continuam na vida adulta. A anemia é um problema-chave em meninas adolescentes. Prevenção da gravidez precoce e garantia adequada da ingestão de nutrientes essenciais para o desenvolvimento de meninas pode reduzir as mortes maternas e da criança mais tarde, e parar ciclos de desnutrição de uma geração para a seguinte. Globalmente, a anemia afeta 42% das mulheres grávidas.

8. O aumento do sobrepeso e obesidade em todo o mundo é um desafio de saúde pública. Pessoas de todas as idades e origens enfrentam este problema. Como consequência, as taxas de diabetes, doenças cardiovasculares e outras condições relacionadas com a dieta são crescentes em todo o mundo. Estas são muito difíceis de tratar em locais com recursos limitados e com sistemas de saúde já sobrecarregados. Cerca de 43 milhões de crianças menores de cinco anos estão com sobrepeso, de acordo com os índices de 2010.

9. Informação nutricional é necessária para identificar as áreas onde a assistência é mais defasada. A OMS divulgou os padrões internacionais de crescimento da criança que fornecem pontos de referência para comparação entre seu estado nutricional entre países e regiões. Além disso, um sistema de informação nutricional, desenvolvido pela OMS e seus parceiros, oferece perfis de países com indicadores de nutrição e fatores que a afetam, como alimentação, saúde e cuidados.

10. A ciência já avançou e evidências baseadas em ações que melhorem a saúde nutricional – especialmente para os mais vulneráveis – são conhecidas. Em resposta, a OMS e seus parceiros estão trabalhando juntos para fornecer pareceres científicos para os países, bem como fácil utilização e ferramentas baseadas na web. Estes esforços são destinados a estimular políticas e intervenções que irão salvar vidas.

E você? Tem alguma ideia para ajudar na alimentação do próximo?

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui