Ocultar

6 hábitos que ajudam a evitar o estresse no trabalho

Ter um emprego em um ambiente estressante é algo extremamente negativo. Além de causas danos à sua saúde, isso também prejudica sua produtividade no trabalho. Para resolver esse problema, você precisa primeiro verificar o que poderia ser a causa de tanto incômodo e então procurar mudar esses fatores começando a mudança por você mesmo e adotando melhores hábitos.

blog_piscandoRoxoConfira 6 hábitos que ajudam a evitar o estresse no trabalho 

Distancie-se da internet

Mesmo que seu emprego dependa do uso da internet, estudos comprovam que utilizar redes sociais durante o trabalho aumenta a ansiedade, fazendo com que os níveis de estresse sejam maiores, além de provocar uma redução significativa na produtividade. Por isso, distancie-se da sua vida online pelo menos durante o expediente.

Preocupe-se com sua alimentação

Se você tiver uma alimentação correta que oferece a você todas as vitaminas necessárias para o bom funcionamento do seu corpo, seus níveis de estresse terão uma redução expressiva.

Dê atenção a sua mente

Muitas vezes, ansiedade pode ser causada apenas pelo fato da mente estar divagando por pensamentos desnecessários. Por isso, aprenda a relaxar. Encontre o que funciona melhor para você e tenha alguns momentos de descanso para sua mente. Meditação é uma boa dica para facilitar essa tarefa.

Construa boas relações

Trabalhar nos seus relacionamentos com as pessoas também ajuda a controlar o estresse diário. Por isso, procure sempre aprimorar suas relações para que você possa estar bem com você mesmo.

Ouça música

Ouvir música durante o trabalho pode ajudar na sua produtividade e também melhorar o eu humor.

Faça exercícios

Fazer exercícios ajuda você a saber como controlar desconfortos emocionais, já que depois de alguns minutos de exercício, você se sentirá mais pleno e relaxado.

*Com informações da InfoMoney

Um novo estudo publicado no Jornal Internacional da Obesidade mostrou que os profissionais que compram comidas, lanches e saladas, já prontas em mercados ou padarias e se alimentam em ambiente de trabalho estão mais propensos a sofrerem de obesidade do que quem traz marmita de casa.

A razão são os ingredientes usados nos alimentos prontos, que contém gordura, açúcar e são calóricos.

Os pesquisadores entrevistaram mais de 8 mil adultos. Destes, os que se alimentavam com seis ou mais refeições por semana fora de casa, incluindo alimentar-se na mesa de trabalho e refeições em restaurantes, estavam com colesterol alto, baixa concentração de vitaminas C e E e IMC alto.

Segundo os cientistas da Universidade da Cidade de Nova Iorque, esta é uma tendência mais comum entre as mulheres com mais de 50 anos.

Não só nos momentos de crise, mas durante toda a vida ativa, o profissional deve estar sempre atento à sua carreira, identificando possibilidades de crescimento em sua área de atuação e buscando oferecer diferencial ao mercado.

Aproveitando o momento, responda: o que deseja de um emprego? A posição que ocupa hoje lhe garante motivação? O que falta, em seu currículo, para avançar em sua carreira?

Vida profissional em ciclos
O ciclo ótimo de carreira é o período em que existe troca, contrapartida entre empresa e profissional na relação de trabalho: o funcionário agrega valor para a organização, sente-se produtivo; a empresa, em contrapartida, reconhece isso e oferece elementos que o motivam.

Avalie possibilidades
Especialistas em Gestão de Carreira destacam que estamos na “Era da Trabalhabilidade”, iniciada por volta do ano 2000.

O grande diferencial desta fase é que os ciclos de trabalho vão mudando e o emprego se torna uma das formas de produzir. As pessoas começam a pensar sobre alternativas de trabalho: “como consigo desenvolver possibilidades para minha carreira sem ser um empregado?”.

Isso justifica, por exemplo, o grande número de empreendedores no País. As pessoas começam a buscar fontes alternativas de renda, pensando em um “Plano B”, seja em caso de desemprego, seja para conseguir um dinheiro extra para cobrir as contas em casa, seja na aposentadoria ou mesmo no desejo de mudar de percurso e construir seu próprio negócio.

Pilares da Carreira
No desenvolvimento profissional, é importante considerar alguns fatores que garantem motivação, combustível para seguir em frente. Conheça-os e avalie o grau de prioridade que tem destinado a cada um deles:

  • satisfação pessoal;
  • saúde física e emocional;
  • finanças (incluindo aqui seu planejamento para aposentadoria);
  • reputação (você tem orgulho da empresa onde trabalha? o nome dela agrega ao seu currículo? Está de acordo com as práticas adotadas por ela?);
  • networking (capacidade que as pessoas têm de fazer rede de contatos);
  • competitividade (currículo, experiências, trajetória profissional) – é preciso estar sempre atento ao que o mercado procura e identificar como se destacar.

Fonte: Finanças Práticas

Você prefere dirigir para o trabalho do que ir de transporte público? O resultado de um novo estudo pode fazer você mudar de ideia. Ir de ônibus ou trem para o trabalho ao invés de carro pode significar em uma redução no risco de pressão arterial, diabetes e sobrepeso.

O líder do estudo, Dr. Hisako Tsuji, diretor do Moriguchi City Health Examination Center in Osaka, Japão, e colegas recentemente apresentaram a descoberta no American Heart Association’s Scientific Sessions 2015, nos Estados Unidos.

A equipe usou dados de 5.908 adultos do Japão. Os participantes passaram por exames médicos em 2012 e responderam como iam ao trabalho.

Eles foram divididos em três grupos: aqueles que andavam de transporte público (ônibus ou trem) para ir ao trabalho, aqueles que iam caminhando ou andando de bicicleta para o trabalho e os que iam de carro para o trabalho. A idade média dos grupos eram entre 49 a 54 anos.

Homens eram mais propensos a ir dirigindo para o trabalho do que as mulheres, de acordo com os pesquisadores, enquanto as mulheres eram mais propensas a usarem o transporte público ou ir andando ou de bicicleta.

Em comparação aos motoristas, os participantes que usavam o transporte público para ir trabalhar eram 44% menos propensos a terem sobrepeso, 34% menos propensos a terem diabetes e 27% menos propensos a terem pressão arterial alta.

Os pesquisadores ficaram surpresos em encontrar que o risco da pressão arterial alta, do sobrepeso e do diabetes eram mais baixos em quem usava transporte público do que quem ia andando ou de bicicleta. “Quando um caminho leva mais de 20 minutos, quem caminha ou anda de bicicleta prefere pegar um transporte público ou andar de carro”, explica o pesquisador.

Baseando-se no estudo, Dr. Tsuji afirma que a população deveria rever como ir ao trabalho: “As pessoas deveriam considerar ir de transporte público ao invés do carro, como uma prática regular de exercícios”.

A equipe admite que há algumas limitações no estudo. Por exemplo, todos os participantes eram do Japão e os japoneses são menos propensos a terem sobrepeso do que os americanos. Os pesquisadores continuam pesquisando o tema.

Informações Medical News Today

A resposta é sim. Se, por exemplo, você tem contas em atraso e acha que esta é a única solução, deve ponderar outros fatores. O momento atual é desfavorável para as empresas também, postos de trabalho têm sido cortados e a palavra de ordem é reduzir custos. Ou seja, não é só o seu orçamento que está apertado.

Avalie-se
Fora este cenário, há outros fatores a considerar: antes de marcar uma hora com seu chefe para discutir esse tema, é preciso que você esteja numa situação favorável para pedir um aumento. Na condição de avaliador, como definiria seu trabalho, entre as seguintes opções: excelente, bom, regular ou insatisfatório? Este já é um grande passo para você tomar sua decisão.

Caso trabalhe na empresa há pouco tempo, leve isso também em consideração. O objetivo é verificar se você tem motivos realmente para estar descontente, ou se está procurando a alternativa mais fácil para resolver seus problemas financeiros.

Analise a média salarial do seu cargo no mercado e compare-a com a média paga pelo seu empregador, considerando sempre o porte da companhia. Não se pode esperar de uma pequena empresa a mesma capacidade de remuneração de uma multinacional, sobretudo no momento atual.

O discurso
A conversa depende muito do grau de relacionamento e da liberdade que você tem com seu chefe. Valorize seu trabalho, porém sem enaltecê-lo. Se há algum problema pessoal envolvido, apenas mencione o fato, sem se estender nisso, a não ser que ele lhe peça detalhes.

Em geral, aumentos de salário estão ligados a mudanças de cargo ou de área. Um salário mais alto implica em novas responsabilidades e numa carga horária mais intensa. E não basta ter um bom relacionamento com o chefe para garantir um lugar melhor dentro da empresa. O ideal é mostrar competência e melhorar o currículo através de cursos e programas de treinamento.

Fonte: Finanças Práticas

Escrever sobre aquilo que gosta, da sua própria casa, sem ter preocupações com horário e ainda ganhar algum dinheiro com isso. Não são poucas as pessoas que se aventuram no universo dos blogs como um passatempo e acabam enxergando na blogosfera uma oportunidade de renda extra.

Assim como os blogueiros, existem hoje diversas atividades “alternativas” de trabalho. No entanto, com uma receita variável, como estabelecer uma educação financeira e fazer um planejamento das finanças pessoais de modo a sobreviver dos rendimentos da internet?

Foco na segurança financeira
Por estarem mais expostos à perda de receita, os trabalhadores com remuneração variável devem procurar fazer uma reserva de emergência, que deve ser de, no mínimo, seis meses de despesas, em razão da oscilação de receita que ele pode sofrer mês a mês.

Além da reserva, especialistas aconselham que esses profissionais, que podem ser equiparados aos trabalhadores autônomos ou liberais, façam um seguro. A reserva financeira está mais relacionada à flutuação da renda. Caso o profissional trabalhe menos em um mês, com a reserva, ele poderá arcar com seus custos fixos. Já o seguro está ligado à perda de capacidade para o trabalho.

Outra alternativa de proteção que deve ser considerada é a previdência privada. Enquanto as outras duas formas de proteção estão mais ligadas ao presente, a previdência tem como objetivo garantir o futuro.

Investimentos
Em relação aos investimentos, é importante também priorizar o conservadorismo e a segurança. Assim, a dica, de acordo com o perfil de risco de cada um, seria destinar até 10% das aplicações para a renda variável e o restante alocar em investimentos mais conservadores.

Fonte: Finanças Práticas

Um novo estudo indica que pessoas que trabalham em turnos apresentam maior problema para dormir do que as pessoas que seguem a jornada de trabalho normal. Além disso,  apresentam, na maioria das vezes, sobrepeso e/ou diabetes.

Utilizando dados de 2008 a 2012 da Survey of the Health Wisconsin (SHOW), pesquisadores investigaram as implicações na saúde dos turnos de trabalho – especificamente, como os turnos afetam o sono, o peso e o risco da diabetes.

A equipe de cientistas analisou 1.593 participantes com diabetes tipo 2, além disso foi calculado o Índice de Massa Corpórea (IMC) de cada um, para verificar se ocorria sobrepeso ou obesidade. Os padrões de trabalho foram perguntados durante a entrevista.

Ao comparar os dados de pessoas que trabalham em turnos com as de jornada normal, notou-se que o sobrepeso ou obesidade ocorre em 34,7 % dos profissionais com jornada normal e em 47,9% dos trabalhadores com turnos.

Trabalhadores com turnos também estão mais propensos a sofrer de problemas do sono. Cerca de 23,6% apresentam insônia, comparado com 16,3% das pessoas que trabalham em horário padrão. Sono insuficiente foi reportado por 53% dos trabalhadores com turnos e 42,9% dos trabalhadores com jornada normal.

A conclusão dos pesquisadores é que os problemas do sono podem provocar obesidade e diabetes.

Pesquisadores estadunidenses publicaram no Clinical Journal of the American Society of Nephrology um estudo sobre a atuação dos exercícios físicos na batalha contra a redução dos efeitos por permanecer sentado durante horas.

A conclusão é que a atividade de baixa intensidade pode não ser suficiente para acabar com os efeitos negativos causados pelo tempo sentado, mas ao adicionar apenas 2 minutos por hora de caminhada, além dos exercícios diários, o resultado é satisfatório.

Um estudo prévio relacionou o “manter-se sentado” por muito tempo com a morte prematura, as doenças do coração, a diabetes e outras doenças crônicas.

Para reduzir os riscos, a American Heart Association recomenda que os adultos façam 150 minutos de exercício moderado ou 72 minutos intensos por semana. No entanto, os pesquisadores notaram que 80% dos americanos não seguem esta recomendação.

Por isso, 3.243 pessoas foram submetidas a testes, onde a velocidade e o tempo de exercício foram medidos durante um ano. Após isso, os pesquisadores observaram a saúde dos participantes por três anos. Durante este tempo, 137 faleceram.

Ao final de toda a pesquisa, relacionou-se a saúde dos participantes e o tempo, assim como a intensidade, de atividade física. Notou-se, então, que apenas 2 minutos de caminhada por hora em velocidade moderada, já reduz em 33% o risco de morte.

victory

victory

Por conta do avanço da tecnologia e da força das redes sociais, hoje você tem acesso aos anúncios de emprego por toda parte. Mas, no meio de tantas oportunidades, há grande risco de se perder na busca pelo emprego ideal.

Para evitar que isso aconteça, é necessário seguir alguns passos, veja só:

  • conheça-se: identifique seus pontos fortes e fracos, que tipo de atividade lhe dá mais prazer e quais mais aborrecem. Desta maneira, é possível fazer um filtro do tipo de emprego que seria bom para você.
  • desenvolva-se: hoje as empresas buscam pessoas inovadoras, criativas, antenadas, comunicativas e que saibam, principalmente, trabalhar em equipe. Dependendo da atividade, o profissional terá de aprimorar ou desenvolver esses tipos de habilidades.
  • estude: quanto maior o conhecimento técnico do profissional, mais oportunidades de emprego ele terá. Busque aprender sempre. Isso inclui também conhecer outros idiomas, especialmente, inglês e espanhol.
  • conheça o mercado: as informações estão acessíveis a todos, seja pela internet, jornal, rádio, televisão, revista, redes sociais, entre outros. Nestes canais, é possível se informar sobre a carreira escolhida. Pessoas que já atuam no mercado também podem ajudar contando sobre o cotidiano do trabalho.
  • informe-se sobre a empresa: além de conhecer o tipo de atividade desempenhada e os clientes atendidos é fundamental que os valores da organização sejam compatíveis com o seu. Esse tipo de informação pode ser encontrado no site da própria empresa ou até mesmo por meio de seus empregados.
  • atualize-se: procure estar atento às tendências da profissão. Hoje, há muitos cursos que podem manter o profissional atualizar e agregam valor a seu trabalho.
  • Invista no networking: muitas vagas de emprego não são divulgadas pelas empresas, somente pelos profissionais que fazem parte do quadro de funcionários. Utilize as redes sociais para melhorar os contatos com colegas de escola, da universidade, familiares e profissionais que já trabalham na área em que se deseja atuar.

Nas universidades
Se você ainda está estudando, inscreva-se nos programas de recrutamento que ocorrem nas universidades. Os recrutadores das principais empresas frequentemente visitam as universidades procurando bons candidatos. É um modo excelente de entrar em contato com empregadores com quem de outras formas seria difícil estabelecer contato.

Fonte: Finanças Práticas

Um novo estudo publicado no Jornal Internacional da Obesidade mostrou que os profissionais que compram comidas, lanches e saladas, já prontas em mercados ou padarias e se alimentam em ambiente de trabalho estão mais propensos a sofrerem de obesidade do que quem traz marmita de casa.

A razão são os ingredientes usados nos alimentos prontos, que contém gordura, açúcar e são calóricos.

Os pesquisadores entrevistaram mais de 8 mil adultos. Destes, os que se alimentavam com seis ou mais refeições por semana fora de casa, incluindo alimentar-se na mesa de trabalho e refeições em restaurantes, estavam com colesterol alto, baixa concentração de vitaminas C e E e IMC alto.

Segundo os cientistas da Universidade da Cidade de Nova Iorque, esta é uma tendência mais comum entre as mulheres com mais de 50 anos.

Há mulheres que sonham com a maternidade desde muito cedo. Já outras, em algum momento da vida, são despertadas por este desejo. O importante, independentemente da situação é: planejar a realização deste sonho.

Além dos cuidados especiais com a saúde e do momento pessoal da mulher, há muitos outros aspectos a considerar, entre eles o planejamento financeiro. Por mais que o relógio biológico e a ansiedade tenham pressa, é fundamental se organizar, estruturando sua vida financeira para acolher muito bem o seu bebê e proporcionar a ele toda a segurança que você puder.

A seguir, você confere uma série de tópicos que vão ajudá-la neste planejamento. Prepare-se!

Carreira
Qual o seu momento profissional hoje? Planeja algum curso de especialização ou tem enfrentado muita pressão no trabalho? Tem vontade de mudar de emprego? Sua situação é instável? Seu afastamento em função da licença maternidade poderia prejudicá-la de alguma forma?

Momento pessoal
Seu cônjuge está pronto para a chegada de um bebê? Receberia bem e dividiria essa responsabilidade com você? Caso a decisão seja unilateral, pense melhor a respeito. O relacionamento de vocês está bem? Ter um filho impacta a vida de ambos.

No caso de uma produção independente, questione-se: está realmente pronta para assumir toda a responsabilidade que esta decisão envolve? Conta com pessoas à sua volta que poderão lhe ajudar no dia-a-dia?

Perfil
Você adora viajar e sair com frequência? Está preparada para um período de “calmaria”, ficando mais caseira e abrindo mão das viagens por algum tempo?

Plano de saúde
Você tem convênio médico e cuida da sua saúde? Tem hábitos saudáveis e faz exames periodicamente? Está satisfeita com a cobertura do seu plano ou está na hora de revê-lo? O plano de saúde cobre as despesas que você vai ter com o parto? Há algum tipo de carência? Seu bolso lhe permite pagar convênio para o bebê?

Orçamento
Como anda a sua saúde financeira? Tem o hábito de preencher e monitorar sua planilha com frequência? Suas contas estão no vermelho?

Em relação às compras por impulso, responda: você está pronta para rever suas prioridades e abrir mão de alguns gastos? Organize-se!

Seu espaço
A casa ou apartamento onde mora tem espaço para mais um? Lembre-se que, com o bebê, virão todos os seus pertences: banheira, trocador, carrinho, cadeira do carro, bebê conforto, brinquedos de todos os tipos… isso sem falar nas roupinhas, sapatinhos, cobertores e mantas, pacotes de fralda e presentes.

Rotina
Meses após o nascimento do bebê, você pretende retornar ao trabalho? Onde ficará o seu filho? Está pronta para os custos com creche ou babá?

Tudo no tempo certo
Lembre-se: o fato de querer engravidar não garante que seu objetivo se concretize no seu tempo. Controle sua ansiedade e, enquanto isso, vá organizando sua vida e planejando suas finanças da melhor forma.

Caso seja necessário se submeter a tratamentos de fertilização, lembre-se de dois aspectos bem importantes:

  • o alto custo desses tratamentos, que pode demandar várias tentativas;
  • o prazo variável para resultados – há pessoas que se submetem a meses de tratamento e várias tentativas de fertilização. Há outras que são surpreendidas pela gravidez logo no início. Isso sem falar nos casos de gravidez de múltiplos. Esteja preparada para as duas situações.

Por mais ansiosa que você esteja para realizar o seu sonho, organize-se para curtir este momento com tranquilidade, nos diversos aspectos. Muita saúde e… Planeje-se!

Fonte: Finanças Práticas

Um estudo realizado pelo Programa de Avaliação de Estresse, do Hospital Beneficiência Portuguesa avaliou as causas do estresse das mulheres. O resultado indicou que, para 75,3% delas, o motivo principal é a sobrecarga de trabalho, a falta de feedback e as relações interpessoais.

O estresse é mais comum hoje em dia. Contudo, é um estado preocupante e que merece atenção especial.

Saiba diferenciar o estresse agudo do crônico e veja como relaxar.

Estresse agudo:
. o coração bate mais rápido;
. os músculos ficam mais tensos;
. a respiração acelera;
. boca seca.

Estresse crônico:
. dores de cabeça constantes;
. tonturas;
. músculos do pescoço e ombros mais tensos e doridos;
. dores no peito;
. indigestão; náuseas, cólicas, prisão de ventre ou diarreia;
. perda de interesse sexual;
. fadiga;
. problemas de sono;
. dificuldade em concentrar-se;
. ansiedade;
. mau humor;
. cólera, hipersensibilidade à crítica;
. tristeza, melancolia e angústia;
. tiques (roer as unhas);
. incapacidade de estar quieto;
. bruxismo (ranger os dentes);
. gagueira;
. comer de mais ou de menos;
. vontade de chorar frequentemente;
. isolamento.

Como relaxar

. Tenha uma alimentação equilibrada e saudável, coma bastante fruta e vegetais;
. Respire calma e profundamente;
. Tire uns dias de férias sem usar celular ou computador;
. Faça exercício regularmente;
. Tente dormir 8 horas para recarregar baterias;
. Ouça a sua música favorita a caminho do emprego;
. Adote um animal de estimação;

Caso você possua algum destes sintomas, busque a ajuda de um médico.

Fonte: Site Activa e revista Viva Saúde

Durante um estudo realizado pela Universidade de Minnesota, 40 profissionais de uma empresa de serviços financeiros trocaram suas cadeiras por esteiras. Ou seja, caminhavam enquanto cumpriam as suas tarefas diárias do trabalho. O resultado foi um gasto de calorias 8% maior e aumento da produtividade.

De acordo com a Lifespan, empresa da cidade de Salt Lake City e fabricante das esteiras-escrivaninhas, as vendas deste tipo de “móvel” triplicou nos últimos 12 meses.

Esta ideia vem conquistando mais espaço no mundo corporativo estadunidense. No entanto, não sabemos se esta invenção dará certo no Brasil.

 

PC01_infografico_feedback_trabalho-01

Na hora de organizar o orçamento para planejar suas finanças, qualquer dinheiro a mais faz toda diferença.

Uma habilidade ou conhecimento específicos podem se transformar em oferta de serviços para amigos, vizinhos e até desconhecidos.

Caso você ainda não saiba o que é possível fazer para ter dinheiro extra no final do mês, veja a lista à seguir:

1. Aulas particulares

Quem tem um conhecimento avançado sobre alguma matéria escolar ou um determinado assunto ou idioma, pode oferecer serviços de tutor. Esse tipo de atividade pode ser realizada nas horas livres e cobrada por hora de aula.

2. Artesanato

As pessoas que possuem habilidades para desenvolver produtos de forma manual, seja para decoração ou uso no dia-a-dia podem vender essas peças a amigos e vizinhos. Também é possível encontrar lojas interessadas em vender os objetos por consignação, rendendo um dinheiro extra no final do mês.

3. Computadores e internet

Aos que possuem conhecimento sobre computadores, sistemas operacionais, internet e redes sociais, podem ganhar uma renda extra com esse conhecimento. Nas horas vagas é possível se resolver para resolver problemas no PC, reparar programas, formatar o computador, ou oferecer suporte técnico. Uma dica é criar promoções para que comecem a surgir novos pedidos de ajuda e seus amigos ainda irão economizar dinheiro.

4. Do velho para o novo

Com o equipamento adequado e paciência, é possível dedicar algumas horas do tempo livre para converter cassetes de vídeos VHS para DVD. Muitas pessoas têm vídeos VHS em casa que gostariam de ver no PC ou compartilhar na web, por isso pode ser uma boa ideia.

5. Dog walker

Para quem gosta de animais, é possível oferecer passear com cachorros e cobrar por isso. O dog walker é uma espécie de companhia para aqueles animais que passam o dia todo sozinho.

6. Doces

Perfeito para quem tem habilidades culinárias. Fazer docinhos como brigadeiro e beijinho pode ser o caminho para ganhar um dinheiro extra. Os doces podem ser vendidos para amigos, vizinhos e colegas de trabalho.

7. Na música

Nas horas extras também é possível unir o útil ao agradável e fazer mais uma atividade que se gosta ganhando dinheiro. Pra quem gosta e entende bastante de música, ser DJ em festas pode gerar uma grana extra no final do mês.

8. Quase um marido de aluguel

Nas horas vagas também é possível ganhar dinheiro fazendo pequenos reparos, como instalações elétricas, encanamentos, entre outros.

9. Consultoria

Quem tem conhecimentos especializados em uma determinada área, pode prestar consultoria para empresas e pessoas sobre assuntos ligados ao tema. Por exemplo, contabilidade, recursos humanos, finanças pessoais.

10. Imposto de renda

Na época da declaração do imposto de renda da pessoa física, também é possível ganhar uma renda extra fazendo a declaração para outras pessoas.

Fonte: Infomoney

Próximo »