Diante de uma vítima de parada cardíaca, o leigo era instruído a fazer respiração boca a boca e massagem cardíaca no paciente enquanto aguardava o socorro. No entanto, as diretrizes para o procedimento serão alteradas a partir de 2010, pela Ilcor (Aliança Internacional dos Comitês de Ressuscitação).

Apenas a massagem cardíaca será recomendada, já que foi constatado que aqueles submetidos somente a esse procedimento têm três vezes mais chances de sobreviverem. A respiração boca a boca prejudica o processo já que leva à diminuição do fluxo sanguíneo, ao contrário da compressão no peito.