Além de criar um desequilíbrio hormonal, dormir mal eleva os níveis de cortisol, responsável pelo stress, provocando desejo por alimentos “reconfortantes” – como os carboidratos.

Com o assunto obesidade sempre em pauta, cientistas por todo mundo tentam responder a pergunta: o que nos faz sentir satisfeitos?

Você já reparou que come rápido demais? Seja pela fome ou pela falta de tempo, é certo que a maioria de nós não obedece aos conselhos dados por nossa mãe, que durante toda a vida nos disse: Come devagar, mastiga direito!

Você que não se controla perto de um chocolate, ou melhor, de um tablete inteiro, já tem em quem colocar a culpa. Pesquisadores apontam que a gulodice não é a única responsável pela ingestão exagerada de certos alimentos, principalmente, no intervalo das refeições, os famosos “lanchinhos”.

Algumas vezes, o que é visível aos nossos olhos, como os valores calóricos estampados no rótulo dos produtos, não são as únicas coisas que devemos levar em conta na hora de escolher o que comer. Isso porque, certos alimentos estimulam mais a sensação de saciedade do que outros.

Aqueles ricos em açúcar, gordura e carboidratos são os maiores responsáveis pela “barreira”, que impede o cérebro de receber a mensagem: PARE DE COMER. A mesma pesquisa constatou que esses efeitos podem durar por três dias. É por isso que um dia fora da dieta pode atrapalhar todo processo.