Uma única dose de radioterapia logo após a retirada do tumor é tão eficaz contra o câncer de mama quanto o tratamento convencional, que inclui 30 sessões. A conclusão é de um estudo inglês feito com 2.232 mulheres com câncer ductal invasivo (o mais comum) submetidas à cirurgia conservadora da mama.

Uma pesquisa recente realizada na Universidade de Michigan verificou que o número de mulheres que se submetem a sessões de radioterapia após a retirada da mama – mastectomia – é pequena em relação à necessidade.

É muito triste a realidade da população com câncer de Belém e Salvador, que necessita do tratamento de radioterapia para sobrevivência e tem que aguardar na fila por atendimento.

Os pacientes submetidos à quimioterapia (QT), radioterapia de cabeça e pescoço (RT) e transplante de medula óssea (TMO), podem apresentar importantes complicações na cavidade oral.

Aconteceu na primeira semana de novembro, em Chicago o 51º Encontro Anual da ASTRO – American Society of Therapeutic Radiology and Oncology.

A informação provém de uma pesquisa apresentada pela Sociedade Americana de Radiação Oncológica.