Pular corda, girar bambolê e ir à caça dos amigos na piscina. Dentro das brincadeiras mais comuns e conhecidas da infância pode estar a chave para o combate ao risco cardiovascular

O tempo que a criança gasta na TV tem relação direta com a obesidade. Conheça algumas estratégias que podem diminuir os riscos de ter filhos pequenos obesos.

Quase 16% dos bebês nascidos por cesárea eram obesos ao atingir três anos de idade, enquanto apenas 7,5% daqueles nascidos naturalmente estavam acima do peso.

Crianças e jovens obesos indicam uma próxima geração de obesos, hipertensos e diabéticos. Por isso, a Semana de Mobilização Saúde na Escola acontecerá para garantir futuros adultos saudáveis.

O leite materno é fundamental e promove benefícios para o bebê até a sua adolescência.

A preocupação exagerada com obesidade infantil tem estimulado algumas mulheres a obrigarem bebês a restrições alimentares prejudiciais. Uma dieta inadequada, no entanto, pode levar a deficiência de ferro, desequilíbrio hormonal e baixo crescimento.

A saúde das crianças reflete como serão depois de crescidos. Um estudo mostrou que as crianças obesas já tinham sinais de inflamação, detectado pelo alto nível da proteína PCR – indicador de maior risco a doenças cardíacas em adultos.

Até o dia 12 de março a UNG – Universidade Guarulhos recebe inscrições para o Goam – Grupo Obesidade Atendimento Multidisciplinar e Goami – Grupo Obesidade Atendimento Multidisciplinar Infantil.

Um estudo financiado pelo Instituto de Saúde Mental dos EUA demonstrou que os chamados antipsicóticos atípicos (que modificam as células nervosas) são responsáveis pelo ganho de peso.