“Como o fígado é um bem infinito e público, nós poderíamos usar o órgão em outro doente, com possibilidade de evolução melhor”, afirma coordenador da pesquisa

Inaugurado na última sexta-feira (15/02), o centro especializado em doenças hepáticas oferece tratamento individualizado e humanizado, além de realizar transplantes.

Duas inovações para o sistema de saúde da capital: O primeiro hospital público de transplantes, já em funcionamento, e o primeiro hospital só de UTIs do país, em construção pela Unifesp.