Apesar de adorável, cão-guia não deve ser distraído com brincadeiras. Contato pode por em perigo o animal e o deficiente visual

O cão Edward foi guia por vários anos do britânico Graham Waspe. Foi então que Graham descobriu que seu cachorro também estava perdendo a visão. A solução foi encontrar outro cão para guiar, agora, os dois.

Eles dão segurança e autonomia a quem não enxerga. Treinados por cerca de dois anos, são companheiros, desviam de obstáculos, ajudam a entrada no transporte público e a espera por um pode demorar até cinco anos.