Ocultar

Beijar várias bocas no carnaval pode trazer doenças, diz médico da UFSCar

O beijo na boca pode transmitir desde uma simples gripe ou resfriado, até doenças mais graves como hepatite B e turbeculose. O alerta para o período do carnaval, época em que as pessoas beijam vários parceiros desconhecidos, é do clínico geral e professor do departamento de medicina da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Bernardino Geraldo Alves Souto. “Se estiver com sangramento, o risco aumenta ainda mais”, afirmou.

Segundo Souto, as doenças podem ser transmitidas pela cavidade oral ou nasal. “As viroses respiratórias podem ser transmitidas pelo beijo na boca. Gripe, meningite, tuberculose, herpes é muito frequente e também a mononucleose, uma doença que começa com frebre, ínguas pelo corpo, e pode evoluir para hepatite ou inflamaçãoo no baço”, explicou o professor.

O ambiente escuro e úmido é propício para o desenvolvimento de várias bactérias. De acordo com o cirurgião dentista Silvio Segnini, só na boca há mil bactérias diferentes. “Sem contar as que são desconhecidas. E o mau hálito pode ser um indicativo dessas bactérias ou de alguma afecção na garganta”, falou Segnini. A má conservação dentária é outro fator que amplia a probabilidade de transmissão.

Entretanto, observar o aspecto da pessoa a ser beijada nem sempre é suficiente para evitar o risco. “Isso porque algumas doenças podem ser transmitidas mesmo se não estiverem na fase aguda. Claro que se for na fase aguda, a transmissibilidade é maior, mas, por exemplo, se o vírus da gripe estiver na pessoa um dia antes do beijo, ela não vai ter sintoma e pode transmiti-lo”, afirmou.

Assim também é com o herpes e com a mononucleose, conhecida popularmente como doença do beijo.”A pessoa que transmite essas doenças pode não estar com sintoma naquele momento. A mononucleose pode levar de uma semana a seis meses para ser curada, a resposta ao tratamento é variável”, disse Souto.

Aglomeração
Para o professor da UFSCar, o ideal é evitar locais fechados. “Se a aglomeração tiver que acontecer, é bom que seja em lugares ventilados, porque quanto mais fechado o local,  maior é o risco de transmissão de doenças”, orientou Souto.

Excesso
Outra atitude que pode ajudar a evitar a transmissão de doenças é fugir dos excessos. “Beijar qualquer um o tempo todo facilita a transmissão, há que se evitar o excesso”, recomendou. “Aliás, qualquer tipo dele, inclusive o de bebida, até porque, o fator agravante do carnaval é que com muita bebida ou droga a pessoa perde a capacidade de administrar o próprio comportamento e extrapola, então isso deve ser evitado”, completou o professor.

Doenças
Entre as doenças que podem ser transmitidas pelo beijo na boca, estão gripe, resfriado, faringite, amigdalite, hepatite B, mononucleose, herpes labial, turbeculose e meningite.

Fonte: G1

Com você é na base do beijo? Então é importante ficar atento aos riscos que se corre beijando várias bocas por ai. Confira abaixo algumas doenças que podem ser transmitidas através do beijo na boca!

Gripe suína
Achou que era só através de um espirro ou objeto contaminado que você pode contrair a nova gripe? Especialistas garantem que o beijo pode sim facilitar a contaminação. Agora já sabe…se o/a pretendente estiver gripado nada feito.

Meningite
Pois é quem diria que uma doença tão preocupante como a meningite poderia ser contraída através de um “beijo folião”. Médicos australianos fizeram um estudo e detectaram que beijar cerca de sete pessoas em duas semanas quadriplica as chances de se contrair a doença. Neste caso é melhor ficar atento e ser bem seletivo, afinal, a meningite é uma doença de evolução rápida e pode levar à morte.

Mononucleose
O nome diferente infelizmente não remete a nenhuma escola de samba nem a nenhum trio do circuito Barra – Ondina. A doença é transmitida através do beijo por um vírus chamado EpsteinBarr.

Por ser assintomática muitas vezes você tem e não sabe, logo, acaba passando ou recebendo a doença de brinde no carnaval. Se durante os dias de folia apresentar dor de garganta, fadiga, inchaço dos gânglios e tosse fique atento, talvez você tenha pago o preço por exagerar na “beijação”.

É importante lembrar que uma vez que você adquire a doença o vírus pode ficar incubado no organismo de 30 a 45 dias. Uma vez que se pega irá carregá-lo para o resto da vida.

Herpes
Independente de ter algum sinal que anuncie a doença, o portador da Herpes pode conter o vírus causador e transmiti-la por ai junto a confetes e serpentinas. A doença se manifestará quando a pessoa estiver com a imunidade baixa.

Cárie
Se bastava uma bala extra forte ou um chicletinho para o hálito do (da) pretendente te conquistar sugerimos uma seletividade maior. Isso porque aos que não tem a higiene bucal em dia, através do beijo pode pegar e transmitir cárie.

Sífilis
Apesar de a contaminação ser mais comum através da relação sexual, a Sífilis pode sim ser transmitida através do beijo. Qualquer ferida na boca é o suficiente para que a doença siga adiante vitimando outras pessoas. A bactéria causadora da Sífilis é chamada de Treponema Pallidum e pode dar o “ar da graça” até uma semana após o contágio e em diferentes partes do corpo.

“Fique atento às dicas e não vacile no carnaval. Uma folia bem aproveitada e consciente pode render doces lembranças. Pense nisso e pratique atitudes saudáveis.”