Canções, desenho e brincadeira da forca são algumas opções fáceis que colaboram para a identificação do transtorno. No entanto, a visita ao médico é essencial para a confirmação.

De 30 a 50% dos alunos chegam ao 5º ano sabendo identificar letras e palavras mas sem entender o que leem.