Estudo foi publicado no The Lancet HIV. Novas pesquisas ainda serão realizadas.

Nos Estados Unidos, 1 em cada 4 jovens vive com um dependente de álcool ou drogas.

Pesquisadores da USP estudaram as consequências do vício na vida pessoal e profissional dos pacientes em tratamento.

A família é a peça-chave tanto na prevenção do uso nocivo do álcool, como em casos nos quais o problema já está instalado.

Basta uma injeção a cada 6 meses ou um ano e toda vez que a pessoa der um gole que seja, em vez de bêbado, ela vai ficar com dor de cabeça, enjoo, boca ressecada…De ressaca, em suma

Nova lei prevê multa de até R$ 87 mil e fechamento de estabelecimentos que permitirem consumo de álcool por menores de 18 anos.

Durante a semana você leva uma vida saudável e evita o consumo álcool? No entanto, chega a sexta-feira e o fim de semana já começa no happy hour? Você sabia que o consumo excessivo de álcool, concentrado nos fins de semana, dobra os riscos de se morrer de parada cardíaca com relação a um consumo continuado?

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) procura voluntários para três diferentes procedimentos. Confira.

Confira a agenda de eventos e tratamentos em São Paulo e no Rio de Janeiro: saúde ocular, bem-estar, psiquiatria, guia de profissões, saúde do homem, alcoolismo e compulsão por chocolate.

Jornada do Instituto de Psiquiatria da USP e Congresso Paulista de Pediatria discutem os efeitos da ingestão de álcool na gravidez. O índice de alcoolismo feminino vem crescendo no Brasil de maneira alarmante, e a preocupação maior das autoridades de saúde é o abuso de bebidas alcoólicas durante a gravidez.

Chega essa semana às prateleiras brasileiras o livro “O fim do meu vício”. Nele, o cardiologista francês Olivier Ameisen conta como conseguiu livrar-se do alcoolismo, doença que o fez largar o trabalho, a habilitação e o convívio social.

Práticas saudáveis quando começam desde cedo em nossas vidas tornam-se um hábito. Este ciclo de ações em benefício à saúde reflete-se ao longo de nossas vidas. Uma prova disso é que a prática de atividades físicas enquanto jovem atenua o consumo de bebidas alcoólicas na fase adulta. Além disso, o tipo de exercício, a intensidade com que são praticados e a rede social dos atletas também influenciam no uso de álcool.

Estudo recente feito pelo Henry Ford Hospital em Detroit, Estados Unidos aponta que as bebidas energéticas, quando consumidas em excesso podem prejudicar o sistema cardiovascular.