Ocultar

Doação de sangue: uma bolsa pode salvar até quatro vidas


Doar sangue não faz parte da cultura brasileira e esse pode ser um dos motivos para o baixo número de doadores no País. Apenas 1,9% da população doa sangue, deixando assim os estoques escassos. Segundo o Ministério da Saúde, o ideal para suprir as necessidades seria que esse índice subisse para 3%. Dados do Hemocentro de São Paulo mostram que até quatro pessoas podem ser beneficiadas com apenas uma doação.
É importante que os brasileiros se conscientizem que doar sangue é uma prática importante para salvar vidas. A falta do estoque de sangue em um hospital pode levar ao cancelamento de cirurgias e de procedimentos. Um exemplo é o paciente que faz quimioterapia, já que, caso não receba o suporte de transfusão, poderá não resistir ao tratamento.
Para quem ainda tem o “pé atrás” com a doação de sangue, saiba que a quantidade de sangue colhida não afeta a saúde do doador e a recuperação é imediata. É seguro tanto para o doador como para o paciente. O sangue doado é testado para doenças como hepatite B, hepatite C, HIV, HTLV, sífilis e doença de Chagas.

Conheça os critérios para ser um doador:
– A partir da nova legislação, jovens entre 16 e 17 anos (mediante autorização dos pais ou responsáveis) e idosos com até 68 anos também poderão doar sangue no Brasil;
* Pesar mais de 50 quilos
* Estar descansado
* Não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas quatro horas
* Não ter recebido transfusão de sangue nos últimos 12 meses
* Não estar com febre, gripe ou resfriado
* Se mulher, não estar grávida, amamentando ou ter tido parto normal ou aborto há menos de três meses. Em caso de cesárea, seis meses
* Após aplicar piercing aguardar três dias para doar
* Após fazer uma tatuagem aguardar 12 meses
* Após vacina da gripe ou rubéola aguardar 30 dias
* Após vacina da gripe H1N1 aguardar 48 horas
* Não ter antecedentes de hepatite após 10 anos de idade
* Não ter antecedentes de doença de chagas
* Acupuntura – sendo agulhas do próprio paciente, não há impedimento
* Sobre medicamentos – o esclarecimento deve ser feito pessoalmente ou por telefone antes de doar
* Se esteve em áreas de alta incidência para Febre amarela, malária, doar após seis meses
* Hipertensos podem doar dependendo da situação avaliada em entrevista clínica
* Diabéticos que não façam uso de insulina
* Alimentação – não deve-se doar em jejum prolongado.
Tendo observado esses critérios, o resto é muito simples:
* Pela manhã: tomar café leve e sem alimentos gordurosos;
* À tarde: doar duas horas após o almoço;
* Não se alimentar de refeições com alto teor de gordura;
* Levar documento com foto
* Saber o endereço completo com CEP para o envio de carteirinha de doador e resultado de exames
* Homens podem doar a cada 60 dias (respeitando o limite de quatro doações ao ano) e mulheres a cada 90 dias (respeitando o limite de 3 doações ao ano).


Comente

Deixe aqui sua opinião...