Ocultar

Cigarro e pílula anticoncepcional: uma mistura perigosa para a saúde da mulher


Já sabemos que o tabagismo é considerado a principal causa de morte evitável em todo o mundo. Mais de 50 doenças estão diretamente relacionadas a esse vício, como tipos de câncer, doenças cardiovasculares e respiratórias. E para as mulheres, as consequências não param por ai. Para as fumantes, é importante ficar atenta aos riscos que a mistura de pílulas anticoncepcionais e o cigarro pode trazer à saúde.

“O uso da pilula anticoncepcional com o passar dos anos, associado à idade da mulher fumante (aproximadamente 35 anos), formam uma combinação perigosa, que pode ocasionar riscos de infartos ou AVC”, esclarece Dra. Denise Coimbra, obstetra e ginecologista.

O Blog da Saúde buscou as respostas para as principais dúvidas das mulheres, como riscos e quais outros métodos eficientes de contracepção, em entrevista com a Dra. Denise Coimbra.

Blog da Saúde – Quais são os perigos apresentados para mulheres que fazem uso da combinação cigarro e anticoncepcional? E porque eles acontecem?
Dra. Denise – O problema é que os anticoncepcionais e a nicotina são vasos constritores, ou seja, provocam a contração das paredes dos vasos sanguíneos. Com o passar dos anos, essa vira uma combinação perigosa, que pode ocasionar riscos de infartos ou AVC.

Blog da Saúde – Sabemos que a idade influência. Isso quer dizer que mulheres menores de 35 anos não correm esse risco?
Dra. Denise – O que pode causar mais perigo é o tempo prolongado do uso do anticoncepcional, aliado ao fumo. Como cada pessoa responde ao tratamento de uma forma, é necessário estar sempre atenta e com acompanhamento do ginecologista. O diagnóstico e as indicações são sempre do médico e individual.

Blog da Saúde – As consequências acontecem apenas com o uso de anticoncepcionais orais ou também com os injetáveis?
Dra. Denise – Os riscos são idênticos entre anticoncepcionais orais e os injetáveis combinados, mas os injetáveis de progesterona não têm contraindicação.

Blog da Saúde – É mais aconselhável a mulher parar de fumar ou procurar outro método anticonceptivo?
Dra. Denise – É claro que o melhor para a saúde da mulher e do homem é evitar o fumo, que traz vários problemas ao longo da vida. Se a mulher não consegue parar, deve ser orientada sobre os perigos da associação com o anticoncepcional e quais as alternativas para evitar a gravidez e ter qualidade de vida.

Blog da Saúde – Quais seriam esses outros métodos? São tão eficazes quanto a pílula?
Dra. Denise – O melhor é não fumar, mas uma mulher fumante que precisa de um método contraceptivo deve optar por um método sem efeitos colaterais para o caso dela. O DIU e o implante hormonal de progesterona são excelentes opções, desde que indicado pelo médico. Todo método clinicamente indicado têm eficácia se seguido corretamente. O médico pode e deve tirar todas as dúvidas da paciente sobre o método adotado.

Ainda está com dúvidas sobre o assunto? Deixe nos comentários e nós responderemos!


Comente

Deixe aqui sua opinião...