Ocultar

Menopausa X Osteoporose


Após introduzirmos os benefícios da musculação às mulheres, podemos falar sobre a saúde dos ossos e a prática de exercícios.

O treinador físico, Carlos Sapucaia, vai dar um recado ao sexo feminino: osteoporose não se restringe a elas, apesar da incidência do problema ser maior por causa de um fator chamado menopausa.

Acompanhem o raciocínio: as mulheres fogem da musculação e optam por atividades aeróbicas. Estas contribuem significativamente para o gasto calórico e, consequentemente, para o emagrecimento. Mas assim que a pessoa para de fazer, também para de queimar calorias. Na musculação, é possível gastar calorias enquanto pratica e depois da atividade, pois terá aumentado a massa muscular que é consumidora de calorias em repouso (trabalhando, dirigindo, assistindo TV…) – explica o treinador.

Além do ganho de massa muscular, a musculação provoca o ganho de massa óssea e é essa parte que talvez muita gente não saiba e que precise saber.

Osso, impacto, sedentarismo e a idade

“O osso, assim como qualquer estrutura do organismo, reage a estímulos de sobrecarga. Impactos são eficientes estímulos para os ossos, mas geralmente não são seguros.”

Impacto é a desaceleração brusca do corpo em movimento, como a aterrissagem de um salto, um soco, um chute… Portanto, em lutas temos impacto, não na musculação. Carlos afirma que a musculação possui característica de contrações musculares somadas à compressão óssea.

Homens e mulheres perdem massa óssea ao longo dos anos. No sedentarismo, a mulher começa a perder antes e em maior quantidade, 1%/ano após os 35 anos, já os homens 0,5%/ano após os 40 anos.

Ao passar pela menopausa, esse número aumenta para 3% ao ano. A ideia é que tenha uma vida ativa para criar uma ótima “poupança” – conselho do treinador. Quando envelhecer, terá grande massa óssea para gastar.

Perda de massa óssea de uma pessoa sedentária:

Homem após 40 anos: 0,5%/ano

Mulher após 35anos: 1%/ano

Na menopausa: 3%/ano

“Hoje existe uma preocupação com o idoso. A hidroginástica é ótima, para muitos médicos parece ser a atividade completa pra quem tem mais de 60 anos, mas em um caso de osteoporose, por exemplo, é péssima. A ausência da gravidade minimiza a compressão óssea que comentei, fazendo com que a atividade seja ineficiente para estes casos.”

Por fim, Carlos Sapucaia lembra que é imprescindível comer a cada 3 horas para que o metabolismo esteja constantemente trabalhando. E recomenda nunca cortar os carboidratos, e sim reduzi-los se necessário. Em excesso é ruim, mas em proporções normais, é fundamental para o ganho de massa muscular, mesmo se a pessoa tiver o objetivo de emagrecer.

“A musculação é, em minha opinião, a atividade que melhor combina eficiência e segurança para que as pessoas modifiquem sua composição corporal”, conclui o treinador.


Comentários

Uma Resposta para “Menopausa X Osteoporose”
  1. Herbalife disse:

    Muito importante lembrar que para manter uma boa estrutura óssea, além de atividades físicas, é importante a ingestão de cálcio, magnésio e vitamina D, tanto através da alimentação como através suplementos específicos para esse fim.
    O Cálcio é o mineral presente em maior quantidade no corpo humano e desenvolve um papel vital em nossa saúde. Uma dieta deficiente em Cálcio pode tornar os ossos frágeis e quebradiços, principalmente durante o processo de envelhecimento, trazendo assim diversos tipos de problemas, como por exemplo, a osteoporose.

Comente

Deixe aqui sua opinião...