Ocultar

Candidíase de repetição: mude os alimentos que consome


É muito comum observar mulheres que sofrem com a recorrência de candidíase, aquela infecção vaginal que coça, arde e gera um corrimento esbranquiçado muito incômodo. Recorrem ao óvulo, pomada, pílula contra a Cândida, e logo mais, lá está ela de volta.

Esse episódio, no entanto vai se repetir inúmeras vezes, se não houver, acima de tudo, mudanças extremamente necessárias na alimentação – é o que diz a nutricionista clínica funcional, Flávia Cyfer, que esclarecerá abaixo tudo sobre o incômodo.

Ela explica que a Cândida albicans, responsável por toda essa problemática, não se localiza exclusivamente no órgão sexual feminino. É uma moradora antiga do nosso próprio corpo.

O que faz a Cândida albicans no nosso corpo

Esse fungo reside no nosso intestino e sua presença é benéfica para nós, desde que esteja sob controle, em pequena concentração. Neste caso, faz o seu papel de digerir partículas mortas e fica tudo bem.

Para que esse controle seja garantido, temos que ter no nosso intestino uma quantidade maior de bactérias probióticas, ou seja, bactérias boas. Temos na nossa mucosa intestinal, uma microflora bacteriana, composta por baterias boas e ruins, além dos fungos, que competem por espaço o tempo todo. A preponderância de bactérias boas no nosso intestino determina a saúde.

O problema aparece quando, por algum motivo, a Cândida começa a se desenvolver e a proliferar deliberadamente. Nesse caso, ela consegue ir além da mucosa intestinal, alcançando circulação, trato urinário (causa da maioria das cistites recorrentes), trato vaginal (causando candidíase vaginal) etc.

Segundo a nutricionista Flávia Cyfer, O tratamento local da candidíase com óvulos ou pomadas não vai tratar a causa (aumento de fungos no organismo), e sim a infecção na vagina. Por isso, sozinho pode não ser eficaz.

Causas

Vários fatores podem desencadear o crescimento desenfreado de fungos, sendo o uso de antibióticos o principal deles, pois mata toda a flora intestinal, dando espaço de sobra para a Cândida procriar. No entanto, o estresse, o uso de anticoncepcionais orais por longo período, anti-inflamatórios, dieta  rica em açúcar, lactose e carboidratos refinados também podem levar ao problema.

As consequências vão além da candidíase vaginal ou cistite recorrente. Perda de libido, irritabilidade, fadiga, aumento de peso, compulsão por doces e carboidratos, alergias, entre outras, são uma possível realidade para  a maioria das mulheres com supercrescimento fúngico (e olha que são muitas!).

Alimentação adequada

O tratamento consiste em retirar todos os alimentos que estimulam o crescimento fúngico, como açúcar, mel, melado, doces, pães refinados; alimentos fermentados como pães, cerveja, vinagre, vinho; alimentos em conserva, embutidos… A quantidade de carboidratos deve ser regulada, inclusive a quantidade de frutas, e dependendo do caso, somente frutas com pouca frutose são permitidas, recomenda a nutricionista.

Na dieta alimentar são incluídos alimentos com ação antifúngica, como as sementes de abóbora (usadas como farinha salgada na comida, depois de triturada), orégano e tomilho; romã (toma-se o suco, que se prepara batendo a polpa e as sementes, onde está o composto ativo contra a Cândida); óleo de coco extravirgem (pode ser usado no suco de fruta ou no chá – basta misturar).

Suplementos fitoterápicos também são importantes nessa matança fúngica. Durante esse tratamento, a flora intestinal vai sendo restabelecida e o  fígado vai sendo cuidado, pois é ele quem recebe todas as toxinas dos fungos que estão sendo exterminados. Dessa forma, a alimentação desintoxicante deve ser feita simultaneamente.

O tratamento exige força de vontade, mas como prêmio a pessoa se vê livre dessas infecções vaginais constantes e melhora a disposição, a libido, o humor, a estética e ainda evita as sérias consequências resultantes de um longo período de exposição à Cândida Albicans.

*Flávia Cyfer é nutricionista clínica funcional, Graduada em Nutrição pela Univ. Gama Filho – RJ e Pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional pela UNIC-SUL/Valeria Paschoal Instituição de ensino. Atende em consultório particular e é Diretora e docente da Nutrindo Ideias. Ministra mensalmente Cursos de Dieta Detox e presta Consultoria Nutricional.

Comentários

6 Respostas para “Candidíase de repetição: mude os alimentos que consome”
  1. Luciana disse:

    Meu nome é Luciana, tenho 41 anos. Estou com este problema a 12 anos e nunca, nenhum médico que fui me falou sobre isto, procurei o profissional da especialidade errada .Mas antes tarde do que nunca . Fico muito feliz de encontrar a resposta que tanto procurei. Agora depende somente da minha boa vontade. Veremos.Quem sabe daqui a algum tempo, entrarei neste site e comentarei o melhor.Obrigado!

    • blogdasaude disse:

      Oi Luciana, ficamos felizes em ter ajudado. Esperamos o melhor para a sua saúde! Boa sorte e mande notícias. Abraços!

    • josiane disse:

      oi luciana, meu nome e josiane, faz um ano que eu estou com esse mesmo ,problema ja fui para varios ginicologista,e nenhum resolveu,se vc conserguir por me ajude.

  2. lucy disse:

    tenho esse problema ha 2 anos e não consigo ficar curada, caso alguém tenha fico grata.conseguido, por favor me dê algumas dicas.

  3. Rosi disse:

    Olá, quando se fala em candidíase, eu falo que isso é uma praga. Sofro com esse incômodo há 4 anos, já passei por vários tratamentos, gastei rios de dinheiro com consultas e medicamentos, durmo sem calcinha, só uso o sabonete intimo da Dermacid, uso calcinhas de algodão e mesmo assim ela vai e volta. E quando volta, ela sempre vem pior. Não sei mais o que fazer, isso acaba com minha vida sexual, incomoda, coça muito e me deixa muito estressada. Preciso de uma solução urgente, mesmo que isso signifique abrir mão dos alimentos que mais gosto…

  4. cristina disse:

    Nossa achei que só eu tinha esse problema, tenho a três anos e nunca fico boa cada vez que vem piora agora esta afetando minha vida sexual, vou cuidar da minha alimentação pra vê se acaba isso e vivo uma vida melhor

Comente

Deixe aqui sua opinião...