Ocultar

Enxaqueca oftálmica: alterações visuais podem indicar outro problema


A dor de cabeça é uma das principais queixas nos consultórios oftalmológicos, mas há casos em que o médico a ser procurado é um neurologista.

Alterações na visão seguidas de forte dor de cabeça, enjoo, mal-estar, intolerância a som alto e sonolência são sintomas de uma doença que atinge cerca de 1% da população mundial: a enxaqueca oftálmica ou enxaqueca retineana, também conhecida como aura visual, que se distingue das enxaquecas clássicas por afetar a visão e outros sentidos.

O oftalmologista Virgilio Centurion, diretor do Instituto de Moléstias Oculares (IMO), explica: “Embora chamada de enxaqueca oftálmica, a doença tem origem neurológica. Trata-se de um distúrbio rápido, intermitente e reversível de circulação cerebral, que precede o aparecimento das crises de dor de cabeça”.

São vários os gatilhos para as crises, segundo Virgilio. Período menstrual; jejum prolongado; o uso de anticoncepcionais; alterações no sono; estresse; o consumo de frituras, café, chocolate e de álcool; problemas na coluna cervical e distúrbios da ATM (Articulação Temporo Mandibular).

Como o problema afeta primeiro a visão, os pacientes recorrem aos oftalmologistas para diagnóstico. “Após exames, quando descartamos as possibilidades de problemas no globo ocular, encaminhamos estes pacientes ao neurologista”, conta o diretor do IMO.

Sintomas

É por esta razão que o diagnóstico da enxaqueca oftálmica é tão comumente feito pelo oftalmologista.

“Como o paciente costuma informar a percepção de luzes (em formato de zig-zag), a perda de metade do campo visual (recuperada com o passar da crise), forte dor de cabeça (mais de um lado só, chamada de “hemicrania”), estado nauseoso e fotofobia, tudo ao mesmo tempo, ele teme perder a visão, o que pode ocorrer temporariamente, com algumas pessoas”, explica.

A dor da enxaqueca oftálmica  pode ainda se manifestar em um ou ambos os olhos. Tanto nos olhos, quanto acima, abaixo e em torno deles. Essa dor pode ser latejante e/ou em peso ou pressão, e sua intensidade pode variar de muito leve a muito forte.

Numa parcela bem pequena dos portadores de enxaqueca, a pálpebra superior de um dos olhos (do mesmo lado da dor) pode cair parcialmente.

“Esse fenômeno recebe o nome de ptose palpebral e ocorre durante a crise de dor. Terminada a crise, a pálpebra volta ao normal. Esta forma de enxaqueca é denominada enxaqueca oftalmoplégica”, conta o oftalmologista.

Tratamento

Com o passar do tempo, os sintomas visuais que precedem a crise de enxaqueca servem de alerta para o paciente recorrer ao diagnóstico adequado e não apenas ao uso de medicação para aliviar a dor.

“Por isto é tão importante a continuidade do tratamento. A cefaléia é uma doença tão complexa que é objeto de estudo integrado de vários especialistas: neurologistas, oftalmologistas, psicólogos, clínicos… Já existem até clínicas e hospitais dedicados exclusivamente  à dor de cabeça”, destaca Virgilio Centurion.

E se a dor de cabeça for causada por problemas de visão?

“A dor de cabeça provocada por problemas refracionais visuais tais como hipermetropia, miopia e astigmatismo, geralmente tem início após um período de esforço visual. O paciente acorda bem, mas durante o dia, ou ao final do período de aulas ou trabalho, começam as dores de cabeça. Este tipo de queixa é chamada de astenopia.”

Normalmente, tal problema costuma desaparecer, após a prescrição e o uso dos óculos ou lentes de contato, informa o oftalmologista Eduardo de Lucca, que também integra o corpo clínico do IMO.

Outras patologias oftalmológicas também podem provocar cefaleia, como estrabismos, insuficiências de convergência, uveítes e glaucoma agudo, informa Eduardo.


Comentários

17 Respostas para “Enxaqueca oftálmica: alterações visuais podem indicar outro problema”
  1. chekpeare disse:

    eu sofro de enxaqueca oftalmica desde os meus 9 anos de idade e quero ficar livre disso o que que eu faço ?

  2. stanisss disse:

    Eu costumava ter enxaquecas oftálmicas no início da adolescência, a cada 3 ou 4 meses. Mas desde os 16 anos, nunca mais tive. Hoje tenho 23, será que estou curado?

  3. Pedro disse:

    Eu tenho as crises de enxaquecas oftálmicas em média a cada 6 meses, as vezes por causa emocional, as vezes por algo que comi. é horrivel!

  4. Victor H. disse:

    …Eu tenho crises de enxaqueca oftálmica pelo menos 3 vezes por mês. É um martírio.. Só de pensar na aura já tenho mal estar. Faço tratamento com propranolol 2x ao dia, e quando estou com crise tomo PACO (paracetamol e codaina). Torço para ficar livre dessas dores uma dia, porque é algo que afeta, consideravelmente, minha qualidade de vida!!!

    • Luiz Carlos disse:

      Eu tenho este problema, mas percebi que geralmente ocorre quando fico mal alimentado e perco peso. Por exemplo, com 70 kg fico bem, mas se cair para 67 ou menos começo a te-la após determinado tempo sem me alimentar, ou passar muitas horas sem me alimentar (4/5 hs) entre as refeições.
      O hábito que uso para melhorar é: Dejejun: 1 fatia de pão de forma com alguma proteína (carne, frango etc.) acompanhado por meio copo de chá de erva doce. (Não bebo café e qualquer coisa que contenha cafeína e/ou leite). em seguida, faço um prato com meia maçã, uma banana prata, um pedaço de mamão, parto tudo e coloco 3 a 4 colheres de sopa de aveia em flogos médio, 3 colheres de granola baixo teor de gordura e de açucar embora não seja diabético, 1 colher de sopa de mistura de nozes e castanha do pará picadas, 2 colheres de sopa de linhaça dourada. Cabe informar que eu não posso tomar leite ou fazer uso dos seus derivados. No intervalo até o almoço como uma banana prata. Não usamos em casa fituras, refrigerantes ou bebidas alcólicas. É um hábito familiar. No almoço, sempre como feijão, arroz e as vezes macarrão, acompanhados por 1 ou 2 tipos de legumes cozido, e uma proteína. Tenho que comer carne vermelha pelo menos 3 dias por semana caso contrário minha vitamina B12 baixa muito. Procuro jantar cedo, em torno das 19:00 hs, e na janta evito comer massas e qualquer vegetal cuja origem seja da terra tais como batata, cenoura, inhame etc., para evitar ter colesterol. Pelo menos uma vez por semana almoço fora de casa e nesta ocasião geralmente como um filé de peixe frito com feijão, arroz, macarrão e legumes. Costumo comer bem em bastante quantidade, sempre fui assim desde jovem e nunca engordei por isto. Atualmente tenho 68 anos. Se eu ficar longo tempo sem me alimentar, vem ansiedade derivada de stress e acabo comendo rápido o que me causa distensão abdominal. Em algumas vezes, já tive a enxaqueca iniciada por ambiente muito iluminado, mas apenas quando estava com peso abaixo de 68 kg.
      Fica aí a minha experiência para que talvez sirva de base para alguém, mas lembrem-se de que cada caso é um caso e cheguei a esta conclusão por observação própria pois devo ter um metabolismo acelerado talvez devido a ansiedade ou coisa assim. Acredito que seria útil se tivéssemos um fórun ou algo assim para uma troca de experiências. Qualquer coisa meu e-mail é luizcdiazevedo@hotmail.com.

  5. mariany disse:

    eu

  6. Talita disse:

    Minhas dores de cabeça começam após um embaçamento na visão, ao olhar uma pessoa qdo estou com crise parece que não estou enxergando direito o seu rosto e o pior que as vezes afeta a minha fala, tipo querendo dizer uma palavra e não sabendo pronunciar é horrível depois vem aquela dor forticima d eum lado só da cabeça. Isto é enxaqueca mesmo???.

    • Luiz Carlos disse:

      Talita, isto parece com um problema que eu tenho e postei resposta para o Victor H, e é denominado enxaqueca oftalmica ou enxaqueca com aura. No meu caso não afeta a fala, apenas aparecem figuras geométricas que afetam a visão.
      Você deve procurar um oftamologista e descartar qualquer problema oftamológico, o que uma vez confirmado, deve procurar um Neurologista.
      Veja a minha resposta ao Victor H. pois as vezes pode ser disparada por problemas de hábitos alimentares como é o meu caso. É importante prestar atenção a sua rotina alimentar anotando os seus hábitos e comparando o que precedeu a cada crise. foi assim que identifiquei a minha causa.

    • bruna disse:

      sim é …tenho desde pequena e a minha ainda da um tipo de dormência de um lado do corpo

  7. Rafaela disse:

    Olá meu marido está com enxaqueca cronica, bom acho q não a cronica e sim oftálmica.
    Estou morrendo de medo, pois ele não está conseguindo abrir o olho do lado direito, é onde afetou a visão. Pelo que li na pesquisa, é normal.

  8. João Luiz disse:

    Boa noite, tenho enchauqeca oftalmica desde dos 20 anos, no começo as crises eram mais forte chegava dar tristeza quando começava sentir o sintoma, minha vista parecia que estava em uma cachoeira, depois vinha enjoo e vomito, era muito forte.
    Hoje com 44 anos os sintomas e a dor são mais fracas, existe uma relação entre ter mais idade e uma diminuição das crises.

  9. tenho um problema de visão que começa sempre com um ponto quase imperceptivel, que só noto pois alguma letra desaparecce a seguir silaba e depois a palavra inteira. Esse ponto minimo vai desencadeando outros que já não sao pontos mas pequenos sinais luminos que vão se encaixando um na ponta do outro como um zigue zaque que vai aumento em forma de ferradura até que desapareça do campo de visão. Esse processo dura em geral 40 minutos e depois volta tudo ao normal.Parece que é num olho mas fica difícil de identificar. Fiz exames, tive metade de perda visual do OD, nenhum médico diz ao certo o que é, tenho isso até hoje sem hora nem sintomas, é uma sensação de que vou ficar cega.

  10. Leandro Freire Gomes disse:

    fiz vários exames , hemograma básico endoscopia raio x da coluna ressonância da cabeça face, oftalmo , mas não descubro oq faz minha cabeça doer um pouco não muito mas incomoda e tb minha visão fica comprometida quando vou conversar com as pessoas não consigo olhar nos olhos o foco entre as pessoas e oq esta atras fica difícil olhar tenho uma dor atras dos olhos ja fazem 3 semanas no começo era somente as seis da tarde agora é o dia todo , um banho quente melhora mas acredito q seja enxaqueca oftálmica.

Comente

Deixe aqui sua opinião...