O verão é uma estação que exige cuidados especiais por parte dos idosos. Estes são mais vulneráveis à desidratação e à hipertermia. Os principais motivos desses problemas são a exposição prolongada ao sol e a ingestão insuficiente de líquidos.

Desidratação

A sensação de sede diminui durante o envelhecimento, mas é importante continuar a ingerir líquidos, mesmo sem vontade. Os sintomas costumam ser queda da pressão arterial, tontura, confusão mental e perda da consciência. O ideal é ingerir dos litros diários de água, sucos, chás e água de coco. Também é importante evitar bebidas alcoólicas.

Hipertermia

Este problema ocorre quando a produção de calor pelo corpo excede a capacidade de dissipá-la e é provocada pela exposição excessiva ao sol ou a permanência durante longos períodos em ambientes abafados. Os sintomas costumam ser respiração e suor intensos, câimbras, náuseas e vômitos.

Atenção: O sol é importante pata todos os idosos, para a retenção de vitamina D. A exposição ao sol ajuda na prevenção e no tratamento dos sintomas depressivos e na regulação do sono.

A exposição ao sol não pode passar de 20 a 30 minutos e precisa ser evitado no período das 10h às 16h, quando o calor é mais intenso.

Conheça outras dicas para os idosos aproveitarem a estação mais quente do ano:

  • Beber muito líquido. Sucos e chás são uma boa opção, mas também é importante a ingestão de água;
  • Alimentar-se em pequenas quantidades, de 3 em 3 horas. Preferir frutas e legumes, evitar bebidas alcoólicas e frituras;
  • Evitar exposição prolongada ao sol ou locais abafados;
  • Usar roupas leves e confortáveis e, de preferência, brancas ou cores claras, que não absorvem o calor;
  • Não esquecer de usar, diariamente, o filtro solar (FPS 20, pelo menos);
  • Evitar atividade física intensa;
  • Se sentir mal-estar, sair do sol, beber água e refrescar áreas como nuca, rosto e pescoço. Se persistirem os sintomas, procurar um médico.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...