Frente a mais um ano novo é importante falar sobre um tema muito útil para que todos nossos projetos deem certo e obtenham sucesso: medo.

Ele é o principal fator limitante, que faz com que tudo que planejamos não vá para a frente. Diferente de quando temos fé, força de vontade e garra, pois aí alcançamos o que queremos.

Faça uma reflexão: pare e pense, quando você quis muito uma coisa, mas muito mesmo a ponto de não ouvir mais as opiniões negativas de terceiros que falavam para você que não iria dar certo; quando quis tanto uma coisa a ponto de enfrentar a todos e a tudo, dedicar tempo e o que fosse necessário; você não conseguiu chegar lá?

Todos nós fazemos algo desse tipo, ou seja, um movimento interno forte a ponto de superar tudo em algum momento da vida!

Sabe o que você não teve nesse momento? Medo!

Sabe o que você teve nesse momento? Coragem!

Todo medo é um bloqueio da nossa energia de realização e tratá-lo e superá-lo é parte fundamental para que alcancemos nossas famosas metas de ano novo, que são perfeitamente possíveis de serem obtidas com determinação, superação e garra.

O medo se origina da insegurança, falta de confiança em si próprio e a crença de que não é possível fazer, ou então é uma sensação inexplicável de limitação, impedimento e bloqueio.

O processo para sair dessa energia é buscar o autoconhecimento, entender como funciona o sistema interno e aprender a lidar consigo mesmo.  Isso porque as pessoas não se conhecem direito; planejam, sonham, porém muitas vezes, quando as coisas não acontecem, ficam frustradas em vez de contentes.

Isso aumenta ainda mais a insegurança e ela potencializada pode produzir distúrbios graves, grave como a síndrome do pânico, entre outras fobias. Todos fenômenos da manifestação desequilibrada da psique que nada mais são do que nosso próprio sistema Imunológico Espiritual usando nosso corpo como válvula de escape.

Temos todo um sistema energético que compões nossos planos mais sutis de manifestação (espírito; alma); e quando o nível de energia em desequilíbrio nesses corpos chega no limite eles extravasam essa energia para ser removida, jogando-a para nosso corpo físico, que então somatiza uma doença – como o é a síndrome do pânico e os diversos transtornos de ansiedade.

Nessa altura já está instaurado um processo auto-obsessivo, ou seja, desequilíbrio de ordem espiritual que demanda um tratamento mais aprofundado e no qual a pessoa provavelmente não conseguirá mais sair sozinha da situação; mas agora para se curar ou voltar ao normal, ao equilíbrio precisará de ajuda externa, como terapias, apometria, e tratamentos biofrequenciais.

Artigo escrito pelo terapeuta Dárcio Cavallini.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...