Há 5 anos, no Brasil, a substância Agomelatina está presente em medicamentos para o tratamento da depressão e chama cada vez mais atenção pelo fato de não provocar efeitos colaterais.

“A Agomelatina apresenta ação antidepressiva robusta, de forma a tratar esta doença psiquiátrica em qualquer fase, não apresentando qualquer tipo de reação, como sonolência, interferência na atividade sexual ou qualquer tipo de desconforto”, explica o doutor em psiquiatria, Dr. Ricardo Moreno.

Os resultados são sentidos aos poucos, de forma gradual e contínua. Primeiro são reparados os aspectos positivos, depois é a melhora do sono, o retorno da cognição, do prazer e do interesse. Por fim, os aspectos negativos são tratados, como a diminuição da ansiedade e melhora do humor.

Segundo Dr. Ricardo Moreno, assim como qualquer outro remédio, é necessário ter uma prescrição médica. O uso indevido pode provocar intoxicação.

Nos primeiros sintomas da depressão, como problemas no sono, tristeza durante todo o tempo, falta de prazer em atividades que antes eram agradáveis, o paciente deve ser encaminhado a um psiquiatra.

Dr. Ricardo Moreno, doutor em psiquiatria, diretor do Grupo de Estudos de Doenças Afetivas (GRUDA) da USP e ex-presidente da Associação Brasileira de Transtorno Bipolar (ABTP).

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...