A Páscoa já está chegando e é preciso prestar atenção a quantidade de chocolate ingerido pelas crianças nos próximos dias. O grande problema dos ovos de chocolate voltados para o público infantil é que são feitos com chocolate ao leite. Ou seja, com menos cacau, fruto que traz os benefícios à saúde.

Para evitar o consumo exagerado, é preciso que o horário da alimentação seja respeitado e que o chocolate sirva apenas como uma sobremesa, não como um lanche. “É preciso respeitar os horários das refeições e a qualidade da alimentação. Oferecer alimentos com menor teor de gordura, restringir outros doces e aumentar a oferta de frutas e hortaliças ajudam a equilibrar a alimentação. Quando existem exageros na ingestão de qualquer alimento, os demais grupos alimentares que devem ser consumidos são esquecidos”, explica a nutricionista Lenycia Neri, do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Uma dica para evitar que as crianças comam muito chocolate, é evitar que o ovo fique à disposição. A nutricionista sugere que o ovo de chocolate seja separado em diversas porções pequenas, “a quantidade recomendada é de uma porção de 55 kcal por dia. Se a criança ganhar um ovo de páscoa de 100g (560 kcal) e consumir uma porção por dia, este ovo durará 10 dias”.

O Instituto da Criança do Hospital das Clínicas elaborou uma lista de dicas:

Optar pelos chocolates amargos ou meio amargos

Os benefícios do chocolate (antioxidade, anti-inflamatória, casodilatadora e combativa à obstrução arterial) estão associados ao teor de cacau e dos compostos fenólicos, responsáveis pelo amargor. antioxidante, anti-inflamatória, vasodilatora e combativa à obstrução arterial.

Avaliar os ingredientes do produto

A tabela nutricional contribui para a seleção do ovo com menor quantidade de calorias, de gorduras totais e trans. Os pais com crianças alérgicas a alimentos ou doença celíaca devem fazer a leitura cuidados dos rótulos. É recomendável optar por produtos especialmente formulados para as restrições como os sem glúten, à base de soja ou alfarroba.

Ensinar a criança a saborear os alimentos

Não deixar que a criança coma o chocolate em ambientes que contenham distrações, como televisão ou computador, para que uma pena quantidade seja consumida.

Reações ao chocolate

A reação alérgica ao cacau é rara. As reações, em geral, estão associadas a outros componentes presentes nos chocolates como leite, amendoim ou castanhas. O consumo em excesso de qualquer alimento rico em gordura e açúcar, no entanto, deve ser evitado por poder desencadear dores abdominais, diarreia, náuseas e vômito.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...