Somente no Brasil, cerca de 70 milhões de pessoas sofrem de alguma doença alérgica. Este número alarmante pode ser uma consequência das situações de estresse que todos passam diariamente.

Segundo estudo realizado pelo Departamento de Alergia e Imunologia da Universidade de Mississippi, os mais estressados apresentam chances maiores de desenvolver quadro alérgico do que as pessoas tranquilas.

A explicação encontrada pelos pesquisadores é de que os hormônios produzidos durante o estresse provocam a alergia. “Durante eventos estressantes, a pessoa tende a produzir substâncias que resultam em um perigoso processo de broncoconstrição (contração da parede brônquica), atrapalhando a entrada de ar nos pulmões”, afirma o coordenador do Brasil Sem Alergia e médico, Marcello Bossois, “no caso da asma, por exemplo, o estresse tem a capacidade de alterar a resposta anti-inflamatória produzida por nossas vias respiratórias para combater esta alergia, aumentando a intensidade, a gravidade e a duração dos sintomas da doença”.

Mas não são apenas as reações alérgicas ligadas ao sistema respiratório que são provocadas pelo estresse. As dermatológicas também. Denomina-se neste caso pssicodernatose, Ou seja, a pele reage a hormônios. “Como resultado desta reação, o organismo produz histamina, citosinas e outras substâncias na corrente sanguínea, causando coceira, inchaço e outros sintomas clássicos de alergias dermatológicas, como urticárias e eczemas”, explica a alergista do Brasil Sem Alergia, Dra. Patrícia Schlinkert.

Para evitar os problemas ligados ao estresse, seguem algumas sugestões para manter a calma, seguindo uma experiência realizada na Universidade de Sussex, na Inglaterra, sobre como aliviar a tensão diária.

  • Ler um livro ou revista que te agrade;
  • Ouvir música;
  • Passear;
  • Jogar videogame;
  • Tomar chá.

De acordo com a pesquisa, apenas 6 minutos de alguma atividade acima já ajuda a reduzir os níveis de estresse.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...