Duas grandes empresas estadunidenses apresentaram ao público um novo benefício cedido às suas funcionárias: o congelamento de óvulos.

Tanto a Apple quanto o Facebook informaram que cobrirão as despesas de congelar óvulos de suas funcionárias em sinal de sua vontade de ceder benefícios para conseguir profissionais mais talentosas.

“Seguiremos expandindo nossos benefícios para as mulheres, com uma nova política de licença maternidade, junto com criopreservação e armazenamento de óvulos como parte de nosso extenso apoio aos tratamentos contra a infertilidade”, disse a Apple em comunicado oficial.

Pela dura competência em contratar empregados talentosos, as companhias da Silicon Valley está oferecendo uma série de benefícios associados ao planejamento familiar.

O congelamento de óvulos é uma opção cara, mas cada vez mais popular entre as mulheres. O procedimento permite que as mulheres posterguem a gravidez, além de ajudar quem deve se submeter a tratamentos médicos que interferem com a fertilidade, como alguns casos de câncer.

Quando a mulher estiver disposta a ser mãe, os óvulos serão descongelados e fertilizados in vitro, por meio da ICSI (técnica de fertilização em que se injeta um único espermatozoide no óvulo). Após a formação dos embriões, eles serão implantados no útero da mãe.

Não existe uma idade máxima para que a mulher opte pelo congelamento de óvulos. O ideal é não passar pelo procedimento depois dos 40 anos, pois o congelamento ocorrerá em um óvulo mais velho, que pode não se tornar um embrião.

O procedimento tipicamente custa 10 mil dólares, com mais 500 dólares adicionais pelo armazenamento a cada ano.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...