O que já se sabe sobre o amor e a sua relação com a saúde? Muito!

Esse sentimento interfere de inúmeras maneiras no comportamento e no organismo. As pessoas envolvidas em um relacionamento amoroso têm menores chances de desenvolver doenças cardiovasculares, doenças crônicas (diabetes e hipertensão) e são mais longevos, além de terem qualidade de vida.

O amor é um regulador fisiológico, capaz de controlar os níveis de hormônios do estresse, aumentar a resistência do sistema imunológico e diminuir os índices de ansiedade e depressão.

Em uma entrevista para a revista Viva Saúde, o pesquisador do departamento de Medicina Comportamental da Unifesp, Ricardo Monezi, afirma que estar conectado a alguém eleva a criatividade, a vitalidade e aumenta a facilidade em resolver problemas.

No entanto, uma decepção amorosa pode acarretar a Síndrome do Coração Partido (SCP). A quebra do vínculo entre duas pessoas gera um desconforto ao cérebro, que passa a liberar altas doses de hormônios ligados ao estresse. Estes são os causadores de diversas doenças do coração.  É por este motivo que diversos jovens (entre 20 e 30 anos) desenvolvem uma série de problemas cardiovasculares.

O fim de um relacionamento provoca perda de peso, fobia social, transtorno de ansiedade e doenças psíquicas. Tudo motivado pelo estresse.

Apesar dos pesares, o amor é um dos sentimentos mais profundos e que as pessoas não podem controlar. Quando ele chega e se instala, é só felicidade. Motivos para amar e ser amado não faltam. Deixe o amor entrar e seja feliz.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...