coluna idosoSe os cuidados com a saúde são importantes em qualquer fase da vida, eles passam a ser fundamentais na terceira idade. A coluna vertebral, considerada o eixo central do corpo humano, requer nessa fase atenção extrema, já que é naturalmente afetada pelo passar do tempo, que somado à má postura, quedas, posição incorreta ao dormir, doenças como a artrose, osteoporose e desgastes da coluna.

As principais mudanças provenientes do envelhecimento acarretam na degeneração dos discos intervertebrais, ou seja, ocorre um desgaste natural. Essa degeneração faz com que haja rupturas internas que levam a diminuição da altura do disco intervertebral, a qual faz com que os nervos sofram compressão. Esse processo é responsável pelas famosas dores na coluna, que não param por aí e irradiam para os braços e pernas. Além disso, outro problema recorrente é a hérnia de disco, que ocorre quando o disco intervertebral sofre uma ruptura que faz com que o material do seu interior saia e cause a compressão de nervos. “Quando isso acontece, há pressão nos nervos espinhais, que leva a dor, fraqueza ou perda de sensibilidade”, afirma o Dr. Juliano Lhamby, ortopedista especialista em coluna.

A hérnia de disco pode ser lombar, quando ocorre na parte inferior (região lombar) da coluna. Também podem ser cervicais, quando os discos do pescoço são lesados. A atividade física na melhor idade é essencial para a prevenção e tratamento das doenças e, consequentemente, das dores na coluna vertebral.

“A prática regular de exercícios físicos traz benefícios em qualquer idade. Mas para os idosos, a necessidade de uma atividade física realizada regularmente 3 vezes por semana é fundamental”, complementa Lhamby. Ele ainda salienta que muitos tratamentos são baseados em fisioterapia com a reabilitação da musculatura, o que ajuda a estabilizar a coluna. Porém, a fisioterapia não reverte a patologia degenerativa que acomete a coluna, ou seja, ela não “cura” a doença.

Por outro lado, as técnicas cirúrgicas evoluíram muito, possibilitando a pacientes em idade avançada um tratamento efetivo com riscos bastante reduzidos. As cirurgias tradicionais invadiam áreas delicadas da coluna como o canal vertebral onde ficam a medula e os nervos, que são as estruturas que controlam os movimentos. Com os métodos atuais menos invasivos realizamos a mesma cirurgia porém protegendo o canal.  São as cirurgia mini- invasivas feitas sem a necessidade de abrir/acessar o canal, trazendo mais segurança aos pacientes.

blog_piscandoCom a fisioterapia são controlados os sintomas. Mas, é imprescindível que alguns cuidados sejam tomados para que a coluna esteja saudável:

  • Não carregue peso;
  • Semi-flexione os joelhos quando for pegar coisas no chão e ao fazer atividades rotineiras como arrumar a cama, escovar os dentes;
  • Faça atividade física regularmente. Principalmente exercícios que proporcionem fortalecimentos dos músculos. (os mais indicados são: hidroginástica e pilates);
  • Mantenha a postura ereta ao sentar, andar e ter cuidados até mesmo ao dormir: evite dormir de bruços (correto: de lado com travesseiro entre as pernas);
  • Mantenha-se no peso ideal;
  • Evite a auto-medicação, pois pode interferir em outros medicamentos de uso continuo comuns na faixa etária;
  • Se as atividades físicas provocam  dores insistentes consulte um ortopedista.

 

Para detectar qualquer problema na coluna é recomendado fazer periodicamente um exame clínico médico, associado a um exame de imagem, que pode ser a ressonância magnética ou a radiografia panorâmica. 

 

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...