Carly Fleischmann foi diagnosticada com autismo severo e retardo mental, condição que a impedia de falar. Os médicos previram que ela nunca iria se desenvolver intelectualmente, além da capacidade de uma criança de até 6 anos de idade. Mas algo surpreendente aconteceu.

Mesmo com progressos de anos de terapia comportamental e comunicação intensiva, Carly se manteve praticamente inacessível ao seu mundo.

Então, quando ela tinha 10 anos, estendeu a mão até o laptop e digitou as palavras “DENTES |AJUDA | DOR”. Foi uma grande surpresa. Seus pais sempre acreditaram que em algum lugar dentro daquele corpo tinha uma menina inteligente, com sentimentos e consciência do que acontece ao seu redor.

A partir daí, Carly usa o computador para se comunicar, lançou o livro Carly’s Voice com a ajuda de seu pai, Arthur Fleischmann, participa ativamente das redes sociais, como o twitter (@carlysvoice), e também mantém um canal no Youtube (aqui) com entrevistas e participações em programas como o de Larry King.

Ela abriu o seu mundo para o mundo compreender o que se passa dentro de um autista.

Algumas frases “ditas” por Carly:

“Sou autista, mas isso não me define. Conheça-me antes de me julgar”
“Se eu não bater a cabeça parece que eu vou explodir, eu tento não fazê-lo mas não é como apertar um botão”
“Eu sei o que é certo e o que é errado, mas é como se eu lutasse contra o meu cérebro o tempo todo”
“Você não faz ideia como é ser assim como eu. Eu queria que, pelo menos por um dia, você pudesse ficar dentro do meu corpo”

Este vídeo ilustra uma situação com a própria Carly, mostrando todo o seu sentimento e reação diante de uma simples ida ao Café.

Mais sobre a história de Carly 

Site Carly’s Voice 

Twitter @carlysvoice

Carly on Youtube

COMENTÁRIOS:

Comentários

Uma Resposta para “O autismo por uma autista: a fantástica história de Carly [vídeo]”
  1. Enf. Talitha Alencar disse:

    Bastante interessante. Incrível esse vídeo, podemos observar a perspectiva dela.
    Como seria importante que as pessoas possuíssem maior conhecimento sobre o autismo/autista, que pudessem compreendê-lo mais e julgá-lo menos.
    Excelente post! :)

Comente

Deixe aqui sua opinião...