Se você resolveu ler esta matéria porque ficou impressionado com o título, fez muito bem. O AVC, popularmente chamado de derrame, é causado por um problema nos vasos sanguíneos do sistema nervoso central. De forma súbita, ele aparece sem um diagnóstico prévio em exames, mas pode ser prevenido diminuindo e controlando os fatores de risco.

De acordo com a Academia Brasileira de Neurologia (ABN), a cada cinco minutos um brasileiro é vítima dessa doença fulminante, contabilizando 100 mil mortes ao ano. O quadro coloca o Brasil como um dos países com maiores taxas de prevalência e mortalidade relacionadas à doença. Chocante, não?!

Por ser fulminante, muitas pessoas acham que o derrame não pode ser prevenido. Enganam-se. É comprovado que um grupo de pessoas está mais propenso a ter a doença com os fatores de risco determinantes: hipertensão (pressão alta), diabetes, colesterol elevado, fumo e fibrilação atrial (descompasso do batimento cardíaco), combinado com o sedentarismo, alimentação inadequada, aumento da circunferência abdominal, obesidade e depressão.

Não ignore esses fatores de risco, o derrame é a principal causa de morte no Brasil e, mais do que estatísticas de saúde pública, atrás disso estão vidas reais.

Hoje (29/10), Dia Mundial do Acidente Vascular Cerebral (AVC), o Blog da Saúde destaca uma importante campanha nacional “1 em 6: Eu me importo” divulgada pela ONG Rede Brasil AVC, ABN, Sociedade Brasileira de Doenças Cerebrovasculares e Associação Brasil AVC com a World Stroke Organization e o Ministério da Saúde.

A ideia da campanha é promover ações educativas e preventivas, voltadas para a população, em locais públicos como praças, parques, ruas e pontos estratégicos de grande circulação. Entre as iniciativas, mutirões de exames serão realizados em todo o País. Confira os locais aqui neste link.

“Todos estão em risco e a situação pode piorar com a complacência e a inércia. A campanha enfatiza o fato de que o AVC pode ser prevenido e que, além disso, os sobreviventes podem se recuperar totalmente se houver um tratamento adequado e de urgência”, afirma Sheila Martins, presidente da ONG Rede Brasil AVC.

A pulseirinha azul é símbolo internacional da campanha e está sendo vendida pelo site OLOOK. O dinheiro arrecadado será doado à ONG Rede Brasil AVC para a realização de campanhas populacionais. O tema “1 em 6: Eu me importo” foi escolhido porque, estatisticamente, uma cada seis pessoas no mundo terá um AVC durante a sua vida.

Sobre o AVC

  • Cerca de um quarto de todos os pacientes de AVC morre após o primeiro mês.
  • De cada dez pessoas que sofrem AVC, cinco morrem depois de um ano.
  • O AVC pode afetar a memória, o raciocínio e os processos emocionais, além de causar paralisias, dor, perda de capacidade de fala e entendimento.
  • Os fatores de risco mais determinantes para o AVC são hipertensão, diabetes,  colesterol elevado, fumo e fibrilação atrial.
  • O índice de mortalidade é duas vezes maior em indivíduos com fibrilação atrial.
  • 75% das vítimas de AVC com fibrilação atrial ficam severamente dependentes de terceiros, contra 15% em indivíduos com ritmo sinusal.
  • A prevalência da fibrilação atrial aumenta com a idade.
  • No Brasil, há 1,5 milhão de pessoas com fibrilação atrial.

Não ignore esses fatores de risco. Não faça parte das estatísticas. Saiba mais sobre a doença (aqui) no site da Rede Brasil AVC.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...