• Este post é para marcar o Dia Mundial da Visão. A iniciativa, da Organização Mundial de Saúde – OMS, tem o objetivo de prevenir e tratar a cegueira. A data é marcada anualmente, sempre na segunda quinta-feira do mês de outubro, assim, neste ano, é comemorado no dia 11.
  • Conheça os problemas de visão mais comuns na terceira idade, todos listados pelo oftalmologista e diretor do Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB), Sérgio Kniggendorf.

Catarata – é considerada a principal causa de cegueira reversível do mundo. Pode aparecer em qualquer idade, mas é mais comum após os 50 anos. Ela resulta da perda progressiva da transparência da lente natural do olho, que é o cristalino. Dados do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) apontam que, atualmente, existem cerca de 350 mil cegos por catarata no Brasil.

Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) – esta anomalia degenerativa da retina (fundo do olho) se manifesta após os 50 anos de idade, leva à perda da visão central e, se não tratada em tempo, é irreversível. Três milhões de brasileiros sofrem com DMRI atualmente, contabiliza o CBO.

Glaucoma – consiste em uma anomalia genética que se manifesta silenciosamente, principalmente na terceira idade. “O paciente apresenta perda progressiva da visão periférica causada por aumento da pressão intraocular”, explica Sérgio Kniggendorf. No Brasil, existem pelo menos um milhão de pessoas portadoras conscientes do glaucoma e outro um milhão que não sabe que tem a anomalia, estima o CBO.

Hipertensão ocular e diabetes – as doenças vasculares causadas por hipertensão ocular e diabetes são as mais comuns na terceira idade. Kniggendorf explica que essas anomalias afetam os vasos da retina provocando oclusões (trombose e infarto) e estão diretamente ligados à gravidade da doença de base. De acordo com o CBO, o paciente diabético tem 30 vezes mais chances de tornar-se cego do que um paciente não diabético.

Presbiopia – conhecida como vista cansada, é um problema de visão causado pela idade – começa aos 40 e se completa aos 60 anos, no qual os objetos próximos não são mais captados nitidamente. No Brasil, segundo dados do CBO, cerca de 38 milhões de pessoas possuem esse problema.

“A catarata pode ser operada e recuperar por completo a visão sem sequelas. A presbiopia é corrigida com uso de óculos ou de cirurgia. O glaucoma pode ser tratado com colírios específicos. As doenças vasculares podem ser monitoradas e minimizadas com um controle sistêmico rigoroso (pressão arterial, colesterol e glicemia). A degeneração pode ser tratada com medicamentos que revertem a visão quando já existem vasos anômalos e com uso de vitaminas antioxidantes é possível diminuir o risco de progressão”, conclui Kniggendorf.

Viu, só?! Quando diagnosticados no início, todos os casos podem ser tratados e impedir a perda da visão. 

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...