Ninguém gosta de pensar em situações ruins na vida. O otimismo é fundamental para enfrentar os problemas e encará-los da melhor maneira possível. Mas, cuidado: a linha entre o otimismo que nos prepara para as adversidades do futuro e o que oferece riscos é tênue, segundo estudo da Universidade College de Londres.

Pessoas que sempre pensam “isso nunca vai acontecer comigo” se consideram menos vulneráveis a experiências negativas e a contrair doenças, o que indica uma perspectiva positiva distorcida da realidade.

O estudo, publicado na revista Nature Neuroscience, concluiu que as pessoas ficam mais atentas quando preveem riscos mais alto que o real.

Resultados – 19 universitários estimaram as chances de enfrentar 80 fatalidades ao longo da vida, como desenvolver doenças ou ser vítima de crime. Depois, receberam os resultados com a probabilidade média real de cada um, calculada com base em questionários que avaliavam seus hábitos, histórico familiar e comportamentos de risco. Em seguida, repetiram o exercício.

No final, os que previram riscos mais altos que o real prestaram mais atenção na exposição dos resultados e responderam de forma realista na segunda vez. Já os voluntários que subestimaram as probabilidades mantiveram as expectativas ao refazer o exercício ou fizeram correções menos expressivas.

Já pensou em estimar 80 fatalidades ao longo da vida?

*Com informações da revista Mente&Cérebro

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...