Ao implantar o sistema de coleta mecanizada, a Prefeitura de São Paulo espera beneficiar os moradores da capital nos seguintes pontos:

Acabar com o resíduo empilhado na calçada;

Evitar o entupimento de bueiros;

Eliminar o mau cheiro ocasionado pelo resíduo exposto nas calçadas;

Ganhar qualidade de ar com a diminuição de caminhões circulando e, consequentemente, menor emissão de C02 na atmosfera;

Melhorar o visual da cidade que passa uma imagem inovadora;

Mesmo com mau tempo, o recolhimento não será prejudicado;

Menor manuseio e contato com o resíduo por parte dos coletores;

O resíduo fica protegido até a passagem do caminhão, não importa a que horas ocorra;

O resíduo pode ser depositado a qualquer hora do dia ou da noite.

A coleta mecanizada é uma forma mais inteligente, higiênica, segura e rápida de recolher os resíduos domésticos. O projeto piloto, iniciado em 02 de julho deste ano, já foi instalado em três pontos em São Paulo. Este processo também conta com a utilização de caminhões especialmente fabricados para a coleta e higienização dos equipamentos.

Pontos já instalados de coleta subterrânea:

Av. Faria Lima X Av. Rebouças;

Conjunto Habitacional Nova União (Parada de Taipas);

Mercado Municipal de São Paulo;

4º e próximo ponto: Jardim Europa.

*Regiões que receberão a coleta mecânica: Superfície e Subterrâneo

O novo modelo, adotado em boa parte dos países europeus, já existe em algumas cidades do sudeste brasileiro.

Esse projeto, ainda em fase inicial, será monitorado e pode ter ajustes com relação à quantidade de contêiner, adequação de localização etc. O apoio da população é essencial, principalmente em relação aos primeiros meses de instalação e na manutenção.

O sistema será efetuado de duas formas: na superfície, com contêiner instalado sobre recuos na calçada para não atrapalhar pedestres e veículos; e no subterrâneo, com contêiner sidetainer e bigtainer, instalados abaixo da superfície da calçada.

O que pode ser depositado no contêiner 

Os usuários poderão depositar resíduos domiciliares orgânicos (derivados de alimentos), embalagens diversas (desmontadas) e resíduos de banheiros. É importante que os resíduos estejam ensacados e não sejam jogados soltos. A população pode cooperar fazendo o acondicionamento correto dos resíduos e zelando pelos contêineres de sua região, afinal, o recipiente é um item de utilidade pública.

Compreenda os sistemas

Sistema subterrâneo: Bigtainer (contentor para acomodação de materiais, de grande capacidade volumétrica – 20 mil litros/10 toneladas) inicialmente instalado. Sidetainer (contentor para acomodação de materiais, de pequena capacidade volumétrica – 3.200 litros).

Os contêineres subterrâneos são metálicos. As caixas de descartes que ficam na superfície são de aço galvanizado, com pintura antipichação e antiferrugem, e durabilidade de até 10 anos. As aberturas para descarte dos resíduos são acionadas a partir de cartões magnéticos cadastrados pela concessionária junto aos moradores/ usuários contemplados pela coleta mecanizada, com sistema subterrâneo.

Foto: LOGA – Logística Ambiental de São Paulo

Os marcos coletores possuem total acessibilidade e permite que pessoas em cadeira de rodas, por exemplo, consigam fazer o descarte com facilidade. O sistema dispõe de sinais sonoros e visuais durante a troca de contêineres para maior segurança dos munícipes.

A concessionária responsável pela coleta de lixo nas regiões dos contêineres irá monitorar os usuários com sensores/chips. Com esta tecnologia é possível monitorar todo o uso do recipiente e do cidadão, como quantidade depositada, quem deposita, e em quais horários.

Sistema de superfície: inicialmente serão instalados em 25 pontos da cidade (região do Jardim Europa). A Amlurb, junto à concessionária Loga, está analisando a possibilidade de instalar na mesma região, cerca de 800 novos pontos. Esses contêineres têm a capacidade unitária para 3.200 litros.

Foto: LOGA – Logística Ambiental de São Paulo

Os contêineres de superfície são metálicos, em aço galvanizado, com alta resistência a intempéries. São acionados a partir de uma alavanca no nível dos pés e não necessitam de cartão para abertura que pode ser feita manualmente.

O resíduo depositado é recolhido por caminhão automatizado que utiliza braços mecânicos para elevar o contêiner, esvazia-o em seu interior e o devolve na mesma localização. Já o caminhão higienizador, composto de tecnologia que permite a higienização total do equipamento no local de coleta. Com água e enzimas vivas, o produto biodegradável desmancha as gorduras, evitando o acúmulo de resíduos que causam o mau cheiro, num processo limpo, feito por caminhão totalmente fechado.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...