A autoestima é um conceito ou noção do valor de nós mesmos que pode ser afetado por diversos fatores como a saúde física e psicológica, eventos negativos da vida, como perder o emprego ou relacionamentos mal sucedidos, e um senso geral de falta de controle. Este sentimento de falta de controle é, muitas vezes, acentuado em pessoas que são vítimas de abuso emocional, físico ou sexual, ou de discriminação relacionada à religião, cultura, raça, sexo ou orientação sexual. Neste artigo, o psicólogo Miguel Luca traz 16 sugestões para construir autoconfiança e autoestima.

Não deixe arrastar o seu problema

Na maioria das vezes, para melhorar a autoconfiança ou autoestima é necessário resolver alguns problemas relacionados com o passado que minam o bem-estar e a paz de espírito no presente.

Felizmente, há uma série de ações simples que qualquer pessoa pode fazer para aumentar a sua autoestima e, esperançosamente, romper com esse círculo vicioso. Você pode praticar algumas das coisas sugeridas a seguir e, certamente, não precisa fazer todas. Basta fazer aquelas que se sinta mais confortável:

1. Faça três listas. Numa folha de papel escreva as suas forças, uma das suas conquistas mais importantes e uma das coisas que você admira em si. Tente a colaboração de um amigo ou parente para ajudá-lo com essas listas. Mantenha as listas em um lugar seguro e leia-as regularmente.

2. Pense positivamente sobre si. Lembre-se que, apesar dos seus problemas, você é uma pessoa única, especial e valiosa, e que você merece e pode vir a sentir-se bem acerca de si, se fizer coisas nesse sentido. Identifique e conteste os pensamentos negativos que tem sobre si, como “Eu sou um perdedor”, “Eu nunca faço nada certo”, ou “Ninguém gosta de mim”. Certamente estas crenças estão distorcidas por erros de pensamento devido à sua baixa autoconfiança e autoestima. Faça um acordo consigo, sendo o seu principal aliado. Sempre que surgirem na sua mente pensamentos depreciativos sobre você, não os siga. Crie outros pensamentos que possam puxar por si, que possam orientá-lo para as coisas que quer alcançar e que o ajude a transmitir confiança. A confiança em si pode ser construída.

3. Preste especial atenção à sua higiene pessoal e aparência. Por exemplo, cuidar do estilo do seu cabelo, aparar as unhas, usar fio dental nos dentes. Vestir roupas que façam você sentir-se bem consigo. Cuidar de nós mesmos representa o valor que nos damos, mas igualmente à preservação da nossa imagem junto dos outros.

4. Coma boa comida como parte de uma alimentação saudável e equilibrada. Faça refeições a pensar, torne isso um momento especial, mesmo se você estiver comendo sozinho. Desligue a TV ou rádio, ponha a mesa, e prime na disposição da comida no prato para que pareça atraente. Você também merece mimar-se. Se você não cuidar bem de si, quem cuidará? Pense nisso.

5. Exercite-se regularmente. Sair para uma caminhada todos os dias e fazer exercícios mais vigorosos (exercícios que façam você suar) três vezes por semana é uma prática de enorme retorno e satisfação. A prática do exercício físico regular é um propulsor da autoestima, eleva os níveis de energia, promove o humor, faz libertar na corrente sanguínea endorfina (vulgarmente conhecida por hormona do bem-estar).

6. Verifique se você está dormindo o suficiente. Após um dia de trabalho, a nossa energia diminui. É importante repormos os nossos níveis de energia. Para isso, o descanso conseguido através de uma noite bem dormida é um dos principais restauradores do corpo e mente.

7. Aprenda a gerir os seus níveis de stress. Na vida, as exigências por vezes são mais que muitas. Exercem uma enorme pressão sobre os nossos recursos e a nossa capacidade de resposta. É importante perceber a exigência das tarefas que tem de realizar e entender se está preparado para responder ou resolvê-las de forma eficaz. Caso verifique que a sua ansiedade e irritabilidade possam aumentar e, consequentemente, a sentir uma diminuição no seu humor, provavelmente está a sofrer de stress. O stress faz-se sentir sempre que a sua capacidade de resposta seja inferior às exigências que enfrenta. Se você não é capaz de responder de forma funcional e eficaz às exigências do seu dia a dia, a sua autoestima pode sofrer abalos.

8. Organize o seu espaço pessoal e profissional, mantenha-o limpo, confortável e atraente. Sentirmo-nos bem nos espaços onde passamos a grande maioria do nosso tempo é essencial para que possamos receber estímulos de bem-estar. Organize as coisas de forma que possa ter a maior satisfação possível.

9. Faça coisas que você goste. Por vezes, quando andamos mais para baixo, com preocupações a ocuparem-nos a cabeça e na presença de alguns sentimentos negativos, fundimo-nos a isso e deixamos de fazer coisas que nos fazem sentir bem. Este é um problema acrescido para a autoestima. É importante promover atividades que possam ter um retorno positivo, que promovam sentimentos positivos. Ao ter boas sensações, certamente isso fará com que todo o seu ser fique mais animado, mais positivo e mais esperançado. Promova aquilo que o faz sentir-se bem, mesmo que esteja a sentir-se mal.

10. Envolva-se em atividades lúdicas como música, pintura, poesia ou dança. Este tipo de atividades lúdicas e artísticas permitem que você possa expressar-se e adquirir um senso de domínio, levando-o a interagir positivamente com os outros. Procure uma destas atividades ou outras na sua localidade. Invista em si mesmo e na promoção do seu bem-estar.

11. Estabeleça um desafio que você possa realmente conseguir e não pare até alcançá-lo. Por exemplo, fazer yoga, aprender a cantar, ou cozinhar um jantar para um pequeno grupo de pessoas em sua casa.

12. Faça algumas das coisas que você tem adiado constantemente. O sentimento de eficácia e de dever cumprido ao realizarmos algo que nos custa ou que não gostamos muito, mas que é necessário ser feito, produz um retorno de satisfação e de valor de nós mesmos. Por este motivo é um excelente promotor da autoestima. Proponha-se igualmente a fazer algo que lhe gera medo, receio ou dúvida, sobretudo acerca das suas habilidades ou competências necessárias à boa realização. Ao enfrentar o que teme, pode vir a ser bem sucedido, tendo como retorno o aumento e o reforço da confiança em si.

13. Faça algo que beneficie os outros. A prática da compaixão ou do reconhecimento do valor humano é algo que promove a satisfação geral, que nos permite olharmo-nos como benevolentes.  Por exemplo, visitar um amigo que está doente, ou envolver-se com uma instituição de caridade local. Estes tipos de ações podem fazê-lo sentir-te bem consigo só pelo fato de valorizar e ajudar outras pessoas.

14. Envolva os outros no seu objetivo. Informe alguns dos seus amigos e familiares de confiança pelo que você está passando e peça o seu conselho e apoio. Talvez eles também tenham problemas semelhantes. Passar por momentos difíceis sozinho é algo terrível e pode comprovar-se como destrutivo e traumático.

15. Tente passar mais tempo com as pessoas que você gosta. Não se afaste das pessoas que gostam de você, não restrinja a sua vida social. Afastar-se das pessoas que lhe são queridas poderia conduzi-lo ao isolamento e piorar ainda mais o estado que você pode passar neste momento. Esforce-se por promover ações sociais com os seus amigos, ou conhecer pessoas novas.

16. Por outro lado, evite as pessoas ou lugares que o façam sentir-se mal. Não recomendo que faça isto durante toda a sua vida, mas se está a travessar por um período de baixa autoconfiança e baixa autoestima, este é o momento de fazê-lo. É importante que se proteja no sentido de não piorar o seu estado, nem comprovar algumas das dúvidas que possa ter sobre si.

*Artigo escrito pelo psicólogo Miguel Lucas.

COMENTÁRIOS:

Comentários

Uma Resposta para “Ações benéficas para a autoestima”
  1. Concordo que não se afastar das pessoas queridas é importante, mas mais importante que tudo isso é aprender a conviver consigo mesmo. A pessoa que tem baixa autoestima precisa entender que é autossuficiente e que precisa gostar de ficar consigo mesma. Quando ela conseguir chegar a esse ponto, aí sim vai deixar de ter baixa autoestima.

Comente

Deixe aqui sua opinião...