Você tem fome do quê? Será de carinho, prazer, atenção ou reconhecimento? Pensamentos do tipo “estou com fome, mas não sei do quê”, “não quero comer arroz e feijão, estou com fome de alguma coisa gostosa”, “vou jantar lasanha” são indicadores de que a fome está em algum fator emocional, e não no estômago. Por não saber esta diferença e comer mais do que organismo necessita, muitas pessoas sofrem as consequências do ganho de quilos a mais e todos os malefícios que surgem agregados ao sobrepeso e à obesidade.

Dentre todas as batalhas contra os números da balança, a de seguir uma alimentação equilibrada e saudável costuma ser a mais difícil, pelo fato de a comida ser comumente associada a fatores emocionais e culturais que facilmente boicotam a “força de vontade” do indivíduo.

Segundo a psicóloga Sandra Aurea Hamzeh, o ato de comer se torna um reflexo de frustrações, substitutivos às soluções de problemas diários e tomadas de decisões, para se tornarem compensação e alívio, entre outros. Frases que ouvimos desde criança de que prato farto é garantia de saúde, que criança que come pouco é desnutrida, associados aos traumas e insatisfações emocionais que vamos adquirindo ao longo da vida, são as molas propulsoras para a ingestão de alimentos que vão além da necessidade de suprir nossa combustão diária de energia.

Para todos os casos, algumas dicas práticas para o dia a dia. Confira:

  • Antes de começar qualquer dieta, tenha uma meta clara e definida com relação ao processo de emagrecimento e resultados esperados para que você se mantenha envolvido no compromisso. O que vale mais, a satisfação de uma batata frita no curto prazo ou o seu corpo mais esbelto e sadio num futuro próximo?
  • Comunique as pessoas de seu convívio sobre sua decisão de emagrecer e explique o método que escolheu. Isso ajudará você a receber apoio e suporte externo, no caso de passar por momentos de instabilidade durante o processo.
  • Antes de iniciar qualquer refeição, se desligue dos problemas e não leve sentimento de raiva, tristeza e outras emoções negativas para a mesa. Não contamine o seu momento de equilíbrio e de saúde. Faça um exercício de respiração e mentalize sua meta.
  • Mantenha-se focado durante a alimentação, prestando atenção na montagem e organização do prato, nas cores da comida, cheiro, assim como na mastigação e degustação dos sabores. Aproveite cada instante para saciar todos seus sentidos.
  • Ao final de cada dia, faça uma breve revisão do que foi sentido e procure recordar-se das emoções mais presentes, analisando o que de fato lhe interessa guardar e “carregar” para o dia seguinte. Sobrecarregar-se sem necessidade pode gerar muita ansiedade e desconforto. A higiene mental diária pode ser a chave para manter-se sobre o controle de suas emoções.
  • Parabenize-se pelas vitórias do dia, por cada hábito positivo que conseguiu implantar em sua vida e por mais um degrau avançado rumo a sua meta.

“A alimentação não pode ser considerada o problema, mas que devemos analisar a função em que ela é colocada em nossas vidas. Para evitar que o impulso fale mais alto, é preciso fazer uma profunda reflexão do que realmente temos fome”, finaliza Sandra.

*Com informações divulgadas pela Assessoria de Imprensa.

COMENTÁRIOS:

Comentários

4 Respostas para “Você sabe a diferença entre fome e vontade de comer?”
  1. adriana disse:

    Matéria maravilhosa, parabéns Sandra, foi simples e objetiva…assim todos nós podemos ver o que realmente acontece nas nossas vidas que não nos deixam emagrecer com tantos regimes em vão…amei a matéria…

    • Sandra Aurea Hamzeh disse:

      Muito obrigada Adriana!! Fico contente e satisfeita de saber que cumpri o meu papel de ser esclarecedora e porque não dizer motivadora!!! Fico a disposição para possivel contato : sandrahmz09@gmail.com ou no facebook Sandra Aurea Hamzeh

  2. Herbalife disse:

    Excelente matéria.
    Eu era muito assim… já estava satisfeita, mas sempre queria "um petisco" a mais.
    Tive que parar com isso, pois a saúde sentiu, e a balança também.
    Bjs! Magda.

  3. Gabrielly disse:

    Muito bom … Eu sempre “estou com fome” agora vou prestar mais atenção se é fome de comida ou de sentimento ! Parabens pela materia me ajudou muito a entender minha fome !!!

Comente

Deixe aqui sua opinião...