Sabia que um em cada seis casos de câncer – aproximadamente 2 milhões por ano – tem origem em infecções tratáveis ou evitáveis? O câncer de colo de útero, que corresponde a cerca da metade dos cânceres causados por infecção, é um deles.

A infecção é causada pelo papilomavirus humano, o HPV. Fatores como o início precoce da atividade sexual, a diversidade de parceiros, o fumo e a má higiene íntima podem facilitar a sua transmissão.

Já existe a vacinação contra o HPV, normalmente direcionada as mulheres de 9 a 26 anos para a prevenção do câncer. Agora, novo estudo feito por cientistas americanos e da Cingapura traz novidades ao tratamento do câncer de colo de útero. Como publicado na revista científica “PNAS”, os pesquisadores identificaram as células mais suscetíveis ao HPV, o que pode facilitar a localização de células parecidas em outras regiões do corpo que também são acometidas por cânceres ligados à infecção pelo vírus.

Os pesquisadores descobriram uma pequena população de células em uma área específica do colo do útero que poderia ser responsável pela maioria ou por todos os cânceres associados ao HPV na região. O vírus ataca apenas uma área entre o útero e a vagina, conhecida como junção escamocolunar.

Além disso, os cientistas também encontraram um padrão típico de funcionamento dos genes das células. Nessa população localizada, são como células-tronco remanescentes do período embrionário.

Com pesquisas adicionais, a descoberta pode abrir novos meios para a prevenção e o tratamento do câncer de colo de útero e um maior entendimento sobre o HPV.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...