Os produtos de proteção solar ganharam novas regras para garantir a proteção da pele dos usuários. A principal mudança é que o valor mínimo do Fator de Proteção Solar (FPS), que mede a proteção contra os raios UVB, aumenta de 2 para 6. A ANVISA também passa a exigir metodologias específicas para a comprovação contra os raios ultravioletas (UVA).

Com isso, volta a ficar em destaque os danos que os raios solares podem causar na população se esta não se proteger adequadamente. Os raios UVB e UVA podem causar mutações que levam ao câncer de pele. Se isso não for o suficiente para convencer que o uso do protetor solar é essencial, vale ressaltar que a exposição crônica ao UVA pode resultar no envelhecimento precoce da pele.

Uma condição chamada de dermatoheliosis unilateral é capaz de ilustrar sobre que tipo de envelhecimento precoce estamos falando.  Também conhecida como fotoenvelhecimento, a condição é resultado da exposição crônica à ação dos raios UVB e UVA do sol. A unilateralidade se dá ao fato de apenas um lado ficar exposto.

Imagem: New England Journal of Medicine

Este homem tem 69 anos, mas o lado esquerdo do seu rosto poderia acrescentar umas duas décadas a essa idade. Por 28 anos, ele dirigiu caminhão, o que causou com que o lado esquerdo do seu rosto ficasse mais exposto ao sol. Os raios ultravioletas transmitidos através do vidro da janela penetravam a epiderme causando o espessamento da pele e estrato córneo, bem como na destruição das fibras elásticas; efeitos do envelhecimento precoce. O caso foi descoberto e estudado por dermatologistas da Universidade de Northwestern e publicado no New England Journal of Medicine.

Doutores recomendaram ao paciente o uso do protetor solar e retinóides tópicos, bem como um monitoramento regular para um eventual surgimento de câncer de pele.

Como sinal de preocupação com a população brasileira, país tropical onde o abuso do sol e das praias é comum, a ANVISA pretende garantir a eficácia dos protetores solar com o novo regulamento. O rótulo dos produtos também sofrerá uma mudança. Será obrigatório conter informações e orientações sobre a necessidade de reaplicação, mesmo para os produtos resistentes a água. Agora, falta a conscientização da população sobre a necessidade de utilizar o protetor solar diariamente e não apenas em viagens. Aderir a essas medidas resultaria em um povo mais saudável e de boa aparência.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...