O mercado de trabalho é cheio de altos e baixos. A manutenção de um emprego acontece sem ser esperado e muitas vezes não depende do desempenho do profissional. Pode estar relacionado à política e influências que ele não pode controlar. No dia que alguém perde o emprego, o estresse é quase insuportável. O que fazer? Como procurar outro emprego? E as contas, como pagar? Sentimentos de ansiedade, impaciência, insegurança e desespero começam a aparecer. Mas a saúde mental não pode ser afetada nessas horas, pois será necessária na busca de um novo cargo.

O melhor a fazer é aceitar a demissão com profissionalismo e encarar esta situação com estratégias para ser bem sucedido no mercado de trabalho novamente. Para isso, é preciso um planejamento prévio que qualquer profissional pode desenvolver seguindo algumas dicas básicas.

Para minimizar os impactos de uma demissão em sua vida, é preciso uma preparação que aumente a empregabilidade, traga novas competências, novos conhecimentos, fluência em línguas, atualização geral e mantenha uma rede de relacionamentos que podem ajudar no futuro. Essa preparação pode ser atingida ao seguir as seguintes dicas.

Seis dicas de como se preparar para uma demissão

  1. Mantenha-se atualizado: Leia sobre as notícias do país e do mundo. Uma crise na Grécia pode parecer não ter ligação com a sua carreira, mas ao se informar, o profissional deve observar como está o mercado como um todo. Também é esperado que o profissional busque novos conhecimentos e não deixe de fazer cursos ou se especializar.
  2. Pense fora da caixa: Fique de olho nas oportunidades no mercado e faça conexões. Uma engenheira de alimentos pode aproveitar que a área de óleo e gás está em alta e focar em empresas que possam ter relação com essa área ao buscar oportunidades.
  3. Networking: Faça bom proveito dos cafés, almoços, reuniões, congressos e pratique o networking. Para especialistas, o ideal é que os profissionais não se atenham apenas na área que atua e amplie seus grupos de interesse.
  4. Atualize seu currículo: Especialistas são enfáticos quanto à atualização do currículo – deve ser feita constantemente. Não deixe para o momento de crise para acrescentar o que tem feito nos últimos anos. Você pode precisar dele atualizado quando menos imaginar.
  5. Poupe: Ao deparar com a perda do emprego, problmeas financeiros podem agravar a já complicada situação. Por isso, um profissional deve ter uma poupança para uma eventual emergência. Para ele, o ideal é ter um montante reservado para poder ficar até um ano sem trabalhar.
  6. Cuida de suas relações: A perda do emprego pode acabar desestruturando outras partes da vida de um profissional. Mantenha a situação familiar em ordem, pois em uma eventual crise, os probleminhas ficam “gigantes”.

(Dicas do RH Super)

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...