Previsões estatísticas têm um papel importante e útil na criação de estratégias e programas de saúde para a população. Ter uma projeção da saúde de uma geração futura também ajuda as pessoas do presente a tomarem atitudes preventivas a fim de evitar as doenças projetadas. Os programas e campanhas criados pelo governo sobre a obesidade são um exemplo disso.

Grandes declínios nas taxas de mortalidade estão previstos para ocorrer entre 2002 e 2030 para todas as principais doenças transmissíveis, causas maternas, perinatais e nutricionais, com exceção do HIV/AIDS, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). Isso é uma boa notícia!

No entanto, algumas doenças tem previsão de crescimento até 2030. Uma delas é a DEMÊNCIA. Os números vão crescer muito nas próximas décadas pelo aumento da expectativa de vida, o que deixará a população mais velha e suscetível à doença. Em 2010, a demência atingia cerca de 35 milhões de pessoas, número que chegará a 65,7 milhões em 2030. O Alzheimer é responsável por 70% dos casos de demência.

Com o envelhecimento da população, as pessoas ficarão mais suscetíveis a certas doenças.

Outra doença que afetará a saúde mental da população em 2030 é a DEPRESSÃO. Estatísticas da OMS mostram que ela deve se tornar a doença mais comum do mundo, afetando mais pessoas do que qualquer outro problema de saúde, incluindo câncer e doenças cardíacas. Atualmente, mais de 450 milhões de pessoas são afetadas diretamente por transtornos mentais.

A DIABETES também crescerá no Brasil, que hoje é o 5º colocado no ranking da doença e, segundo especialista, se tornará um dos líderes sul-americanos. Cerca de 12,2 milhões de brasileiros são diabéticos. A perspectiva para 2030 é que o número de pessoas com a doença chegue a 19,6 milhões. O motivo são os males da vida moderna que atingem cada vez mais pessoas, como a má alimentação e a falta de exercícios físicos.

Os casos de CÂNCER farão um pulo de 11,3 milhões, em 2007, para os 15,5 milhões estimados, em 2030. O número de mortes globais causadas pela doença está projetado a aumentar em 45%, de acordo com a OMS. Se as medidas tomadas contra o tabaco não se intensificarem, o câncer de pulmão continuará sendo o mais devastador.Hoje, cerca de 1 em 4 adultos, ou 1,2 bilhões de pessoas, fuma. Dentre outros fatores de risco associados ao câncer estão: estilo de vida que inclui uso do tabaco, álcool, dieta desequilibrada e sedentarismo, exposição a cancerígenos ambientais, radiação e algumas infecções.

O alto uso do tabaco coloca o câncer de pulmão como um dos mais devastadores.

Uma doença que estará entre as 4 líderes nas taxas de mortalidade em 2030 é a AIDS. Projeções feitas pela OMS mostram um aumento de 2,8 milhões para 6,5 milhões de mortes causadas pela doença. As outras líderes incluem doença cardiovascular isquêmica, cerebrovascular (AVC) e pulmonar obstrutiva crônica.

A tabela a seguir (em inglês) foi criada pela OMS para representar a porcentagem de DALYs (Disability Ajusted Life Year) por doença e fazer uma comparativa entre 2004 e 2030. DALYs é uma medida que representa quantos anos de vida saudáveis a pessoa perdeu por ter determinada doença.

Imagem: OMS

Para não perder esses anos de vida saudáveis, ter uma alimentação equilibrada, praticar exercícios físicos, manter-se longe de vícios e exercitar a mente já é um bom começo. As estatísticas são preocupantes, mas uma mudança no seu estilo de vida e a adoção de medidas preventivas podem mudar esses números.

COMENTÁRIOS:

Comente

Deixe aqui sua opinião...