Ao crescer, os adolescentes aprendem a ser gente grande. Lidar com dinheiro, tomar decisões de poupar ou gastar, consumir e pagar contas próprias começam a fazer parte da vida e mostram como esse jovem se virará sozinho dali a alguns anos.

Uma pesquisa realizada com 9 milhões de jovens durante 40 anos foi publicada neste mês no “Journal of Personality and Social Psychology” e mostra como o pensamento jovem evoluiu entre a geração do “baby boom” (anos 60 e 70) e a geração Y (80 e 90). Uma das conclusões que chamam a atenção é a seguinte:

As gerações recentes consideram objetivos relacionados com valores como dinheiro, imagem e fama, mais importantes do que aqueles relacionados com autoaceitação, afiliação e comunidade. Ou seja, hoje em dia é preferível ficar rico e se preocupar apenas com a sua vida individual do que pensar em comunidade, sociedades carentes e trabalho voluntário para prestar ajuda.

Estatísticas disponibilizadas pelo QuorumBrasil afirmam que ao questionarem jovens sobre “para que serve o dinheiro?” 65% deles preferem gastar e apenas 35% pensam em economizar. Apenas 17% pensam em investir para estudos futuros. Aliás, 37% dos adolescentes não se preocupam com o próprio futuro e deixam os pais tomarem conta disso.

A relação que os jovens têm com o dinheiro deve-se aos estímulos dos meios de comunicação, como o consumismo. No resumo da pesquisa, a conclusão foi de que os conselhos dados pelos pais dentro de casa tem pouco efeito. A maioria dos jovens prefere buscar informações financeiras nas consultas pela internet.

COMENTÁRIOS:

Comentários

2 Respostas para “Os jovens e o dinheiro”
  1. Tudo sobre disse:

    Poupar dinheiro, e criar uma poupança com pretensões de dentro de 10 anos comprar um apartamento, infelizmente não faz parte da mentalidade de muitos jovens, que só pensam no " Aqui e Agora ". Da mesma forma, muitos não pensam em ajudar o próximo. Que outro tipo de comportamento venha a tona nas próximas gerações, o mundo precisa de bons valores

Comente

Deixe aqui sua opinião...